News

Microsoft perde responsável pelo Xbox Live

A Microsoft acabou de perder um dos membros fundamentais da equipe da Xbox. Dan McCulloch, que trabalhava na Xbox há 15 anos e era o líder...

A Microsoft acabou de perder um dos membros fundamentais da equipe da Xbox. Dan McCulloch, que trabalhava na Xbox há 15 anos e era o líder do Xbox Live, anunciou que está de saída.

Dan McCulloch anunciou a sua saída no Twitter, mostrando-se grato pelos amigos que fez ao longo dos anos e pelas oportunidades de aprendizagem. Relativamente ao que vem a seguir na sua carreira, disse apenas que está "extremamente entusiasmado".
"Vou anunciar muito em breve, vocês vão ficar todos extasiados. Obrigado!"
McCulloch está saindo daklndkn equipe do Xbox num período importante para a marca, na transição de uma geração para a outra. Vamos ficar atentos para saber quem é o seu substituto.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Rumor: Xbox Series S será revelada em Agosto

Com Julho a aproximar-se, todos os olhos estão postos na Microsoft e no seu grande evento do Xbox. Sabemos que um dos jogos confirmados par...

Com Julho a aproximar-se, todos os olhos estão postos na Microsoft e no seu grande evento do Xbox. Sabemos que um dos jogos confirmados para o evento é o aguardado novo capítulo de Halo (Halo Infinite), mas fora isso, apenas há especulação.


Os nossos colegas de Inglaterra publicaram hoje um artigo com novas informações acerca dos planos da Microsoft, nomeadamente que a Xbox Series S - o suposto versão mais acessível do console de próxima geração da companhia - só será revelado em Agosto.
Ao que parece o evento de Julho será completamente focado em novos jogos para a Xbox Series X. Oficialmente, o Xbox Series S será confirmado, mas o console tem sido referida por rumores há mais de um ano.
Entretanto, o PlayStation já anunciou que vai haver duas edições do PlayStation 5: uma com leitor de discos e outra sem.

xbox_series_s_agosto

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Square Enix revelará novos jogos em Julho e Agosto

Sem a habitual E3, cancelada devido à pandemia COVID-19, a Square Enix foi uma das companhias que ficou sem palco para os seus grandes anún...

Sem a habitual E3, cancelada devido à pandemia COVID-19, a Square Enix foi uma das companhias que ficou sem palco para os seus grandes anúncios.
Ao longo das últimas semanas, a Square Enix tem feito anúncios individuais como Kingdom Hearts: Melody Memory, Final Fantasy Crystal Chronicles Remastered Edition Lite, a anime de The World Ends with You e Project Athia, feito em parceria com a Sony. Esta foi a forma encontrada para contornar a ausência de um grande palco.


No entanto, segundo comunicado aos investidores, via Gematsu, a Square Enix continuará a colmatar a ausência do grande evento de Junho com anúncios feitos em Julho e Agosto.
Questionado sobre como a COVID-19 alterou os planos para os habituais anúncios da E3, a Square Enix confirmou que "normalmente anunciaríamos novos jogos na E3", mas está a preparar anúncios individuais.
"Tínhamos planos para um evento de substituição, mas fomos incapazes de o fazer pois os assets não estavam terminados. Iremos anunciar individualmente novos jogos consoante nos for possível. Teremos várias estreias entre Julho e Agosto."


0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Xbox Lockhart é uma consola pensada para jogar a 1080p ou 1440p

Os rumores em torno do lançamento de um segundo console de próxima geração da Microsoft persistem e a especulação em torno do Xbox Lockhart...

Os rumores em torno do lançamento de um segundo console de próxima geração da Microsoft persistem e a especulação em torno do Xbox Lockhart está a voltar a ganhar força.

Antes da revelação do Xbox Series X, as informações não oficiais sugeriam que iriam ser apresentados dois modelos de próxima geração, algo que ainda não foi feito e sugeria que a Microsoft mudou os planos.
No entanto, as recentes referências ao Xbox Lockhart descobertas em documentos da Microsoft voltaram a dar força à possibilidade de um console, uma possível Xbox Series S, como alternativa ao Xbox Series X ser apresentado em breve.
Segundo revelado por Tom Warren do The Verge, a Microsoft manteve os planos para lançar um Xbox mais barato e menos poderoso, cujo nome de código é realmente Xbox Lockhart e que está pensado para jogos a 1080p ou 1440p.
Warren diz que os documentos recentemente descobertos incluem referências à Lockhart e a "consolas Project Scarlett", apesar de até à data apenas ter sido anunciada a Xbox Anaconda, nome de código da Xbox Series X.
De acordo com o perfil de performance apresentado pela Microsoft para a Lockhart, existe um modo Lockhart no kit de desenvolvimento da Xbox Series X, com o nome de código Dante, que permite aos programadores activar o modo Lockhart e afinar a performance para esses parâmetros de poder.
Segundo Warren, a Lockhart será uma Xbox com 7.5GB de RAM utilizável, uma velocidade CPU ligeiramente reduzida, cerca de 4 teraflops de poder GPU e pensada para jogar em resoluções como 1080p e 1440p.

Esta consola será uma alternativa da Microsoft para quem prefere pagar menos e abdicar do elevado poder do Xbox Series X, mas que pretendem na mesma dar o salto para a próxima geração.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

PlayStation 5 dá as caras em Página da Amazon Brasil

O PlayStation 5 já foi mostrado, seu line-up inicial de jogos também deu as caras, especificações técnicas e tudo mais. Só falta “uma c...


O PlayStation 5 já foi mostrado, seu line-up inicial de jogos também deu as caras, especificações técnicas e tudo mais. Só falta “uma coisinha”: o preço. Mas antes que o anúncio oficial do valor de venda seja revelado, as varejistas brasileiras já começam a se movimentar em torno do lançamento do console.
A primeira delas é a Amazon. A gigante do e-commerce já tem uma página inteira dedicada ao console next-gen da Sony. Por lá é possível ver algumas informações sobre os acessórios, jogos e até algumas dúvidas. Só não há o preço e data de lançamento. De qualquer forma, os interessados já podem cadastrar seu email para serem avisados sobre isso. Veja clicando aqui!
Embora a Sony já tenha confirmado que o lançamento será global, não é raro ver empresas de tecnologia optarem por lançar seus aparelhos eletrônicos por aqui só depois de um tempo. A página oficial do console na loja parece ser um bom indicativo de que ele chegue por aqui junto com outras regiões.
Página já tem até uma avaliação negativa de um usuário do futuro.
O lançamento do videogame está marcado para o fim de 2020. Mesmo com todos os problemas vividos atualmente, de forma global, a Sony se mantém confiante na estreia do equipamento e projeta uma boa recepção em vendas.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Cyberpunk 2077 recebe novo trailer impressionante

A CD Projekt RED apresentou um novo trailer de Cyberpunk 2077. Capturado inteiramente nos primeiros minutos do próximo jogo, a CD Pro...

A CD Projekt RED apresentou um novo trailer de Cyberpunk 2077.

Capturado inteiramente nos primeiros minutos do próximo jogo, a CD Projekt RED não quer revelar demasiado do seu aguardado projecto, este vídeo dá-te um novo e sensacional olhar a Cyberpunk 2077.
Night City será uma parte fundamental da personalidade de Cyberpunk 2077 e está repleta de locais onde podes passar o tempo, mas existem imensos perigos à espreita e pessoas estranhas.
Este vídeo foi capturado apenas no prólogo do jogo e não pretende revelar demasiado da narrativa ou do mundo, mas mesmo assim tem um belo efeito para impressionar todos os que aguardam pelo jogo.
Cyberpunk 2077 foi adiado para 19 de Novembro e será lançado na PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X e PC.
Em 2021, será apresentada uma actualização para melhorar a qualidade de Cyberpunk 2077 nas consolas de próxima geração.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Xbox revela lista dos primeiros jogos Otimizados para o Xbox Series X

A Xbox apresentou um novo trailer dedicado aos jogos que estão a ser optimizados para a Xbox Series X e revelou a primeira lista de jogos...

A Xbox apresentou um novo trailer dedicado aos jogos que estão a ser optimizados para a Xbox Series X e revelou a primeira lista de jogos que merecem usar essa designação.
Os jogos que receberem este símbolo e designação são jogos que foram "construídos de forma nativa para a Xbox Series X, tais como Halo Infinite," afirma a Xbox numa nova actualização sobre o que representa esta optimização.
A designação "Optimizado para a Xbox Series X" significa que esse jogo tira proveito das mais poderosas funcionalidades da consola, que terão um aspecto e performance incríveis.
Isto poderá significar correr a 4K com rácios de fotogramas até 120fps, ray tracing DirectX acelerada por hardwar e loadings praticamente inexistentes.
Segundo diz, "jogos que foram Optimizados para a Xbox Series X usam o poder da nova consola para entregar rácios de fotogramas superiores e mais estáveis, com um alvo de performance nos 60 fotogramas por segundo numa resolução de 4K."
Alguns jogos, como confirmado para DiRT 5, poderás optar por correr a 120fps ou com rácio de fotogramas variável, ampliando o leque de opções à tua escolha.
Eis a lista inicial de jogos Optimizados para a Xbox Series X:
  • Assassin's Creed Valhalla
  • Bright Memory Infinite
  • Call of the Sea
  • Chivalry 2
  • Chorus
  • Cyberpunk 2077
  • Destiny 2
  • DiRT 5
  • FIFA 21
  • Gears 5
  • Halo Infinite
  • Hitman 3
  • Madden NFL 21
  • Marvel's Avengers
  • Outriders
  • Scarlet Nexus
  • Scorn
  • Second Extinction
  • The Ascent
  • The Medium
  • Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2
  • Yakuza: Like a Dragon

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

The Last of Us Parte 2: uma obra de arte da Naughty Dog

Ao longo das gerações, os "prestigiados" exclusivos first-party tornaram-se numa parte importante da experiência de ter um consol...

Ao longo das gerações, os "prestigiados" exclusivos first-party tornaram-se numa parte importante da experiência de ter um console. Estes grandes e caros projetos são desenhados para levar o meio além dos seus limites, oferecendo novas experiência com os mais elevados valores de produção e a melhor tecnologia. Dentro dos melhores estúdios responsáveis por estes títulos emblemáticos, a Naughty Dog posicionou-se como uma das melhores. The Last of Us Parte 2 é a sua maior criação e talvez a mais surpreendente. Por baixo da sua fachada decadente esconde-se uma experiência muito bem criada, é um jogo que aplica diversas lições duras aprendidas nos anteriores, resultando no mais ambicioso e maior projeto da Naughty Dog até à data, mas o que significa isso no contexto deste jogo?

Posso descrevê-lo como a culminação de todos os esforços do estúdio. De uma perspectiva sobre a tecnologia, é difícil isolar novas técnicas ou tecnologias já vistas. O que tens é uma execução exemplar, até ao mais pequeno dos detalhes, e uma exploração completa de conceitos com os quais experimentaram no passado. Por exemplo, algo que agora podemos revelar é um dos mais importantes conceitos na base do jogo. The Last of Us Parte 2 apresenta os maiores ambientes jamais vistos num jogo da Naughty Dog, seguindo o exemplo do design mais amplo de Uncharted: O Legado Perdido, mas leva a ideia para o nível seguinte. A renderização do mundo e personagens foi melhorada e foram feitas mudanças importantes nas mecânicas para criar uma experiência geral mais divertida e fluída.
O primeiro The Last of Us, tal como Uncharted, é um jogo altamente cinematográfico conduzido por momentos definidos, foi desenhado para parecer mais aberto, mas é na mesma uma série de túneis. Em parte, isto também acontece na sequela, mas a grande diferença está na cidade em si. Seattle serve como uma espécie de pilar central em torno do qual os momentos mais cinematográficos são construídos. Basicamente, é uma espécie de hub, mas não no sentido tradicional num jogo de mundo aberto. Em vários pontos do jogo, o teu objectivo envolve descobrir um local específico, mas nunca é revelado explicitamente como lá chegar ou se tens se afunilar num caminho específico.
É aqui que difere do original, agora podes optar por seguir por ruas diferentes ou explorar edifícios diferentes e desfrutar do mundo ao teu ritmo. Existem imensos locais que não precisas visitar, mas descobrirás mantimentos úteis e enfrentarás inimigos que podias nem encontrar. Objectivos simples tornam-se em missões que duram uma hora simplesmente porque o mundo é tão aberto. É este aspecto que ajuda o mundo a ter uma sensação de uma local real e não de um túnel e esse é o nosso primeiro foco, o mundo.
The Last of Us Parte 2 numa análise do Digital Foundry
Dos mais pequenos detalhes às maiores estruturas, The Last of Us Parte 2 é espantosamente denso. No interior, o jogo usa a excepcional abordagem da Naughty Dog à iluminação indirecta pré-calculada. O jogo parece usar um sistema de satélites, combinados com mapas de luz e materiais com físicas realistas para uma iluminação muito natural. O resultado é melhor percebido em interiores com pouca iluminação, que parecem surpreendentemente realistas. Não é perfeito, os objectivos interactivos nem sempre misturam com a iluminação pré-calculada, mas no geral funcional e a maioria dos objectos tem um aspecto realista na cena devido ao sombreado ambiental natural. Juntamente com um elevado nível de detalhe e uma grande selecção de objectos criados e posicionados em cada sala, está altamente detalhado.
A atenção ao detalhe na renderização é rica e abundante. A fidelidade e a liberdade adicional colaboram para tornar mais satisfatória a exploração, reforçando a sensação de descoberta, cada sala tem a sua própria história. No exterior, as coisas são ainda mais impressionantes. The Last of Us Parte 2 efectua um trabalho excelente para conferir a sensação de escala num mundo aberto e consegue micro-detalhes. A animação dos sistemas adiciona imenso à qualidade do mundo: a relva reage aos movimentos do jogador e a forma como a luz se espalha pelas superfícies dos edifícios é espantosa.
A chave para criar um mundo convincente está nas interacções mais subtis. A água refletida, o vento que sopra, as sombras que são criadas, o vidro que parte e mais. Acertar estes detalhes é fundamental para construir este mundo credível e The Last of Us Parte 2 porta-se bem. Cimentar o teu personagem exige uma abordagem cuidadosa às sombras e reflexos. Para resolver isto, a Naughty Dog voltou a empregar sombras em cápsulas juntamente com reflexos em cápsula. Basicamente, através de uma estimativa da forma do personagem, os artistas apresentam sombras naturais muito suaves, que interagem lindamente com a iluminação maioritariamente indirecta. Isto também é empregue nos reflexos. Os reflexos do jogador estão frequentemente ausentes em muitos AAA. O jogo tem a sua quota parte do que parecem ser espelhos renderização-para-textura, com um aspecto altamente convincente.
Nas maiores superfícies, como água ou pavimento molhado, foi usado uma mistura de mapas cúbicos projectados e reflexos screen-space. Não há nada de único aqui, mas é a mestria com que são apresentados que importa. Se olhares com atenção, vais reparar que os mapas cúbicos estão cuidadosamente alinhados com o cenário, permitindo que os reflexos screen-space se alinhem na perfeição. Isto ajuda a evitar habituais vestígios, nos quais o detalhe no ecrã não está disponível para os reflexos, criando quebras no movimento. No geral, a água tem um aspecto deslumbrante, pequenos riachos e água correm com bom aspecto e o mesmo se pode dizer dos mares tempestuosos na costa. The Last of Us Parte 2 também recorre imenso à chuva, quase metade do jogo corre debaixo de chuva. As gotas funcionam em conjunto com os efeitos das superfícies e iluminação para alcançar um aspecto muito atmosférico. Depois temos a iluminação volumétrica, que desempenha um papel mais importante para criar a atmosfera do jogo, através de uma técnica comparável ao que foi feito em Uncharted 4.
Se queres saber como o jogo corre e se compara entre a PS4 e a PS4 Pro, este vídeo é para ti.
Tudo isto é combinado com uma sequência pós-processamento robusta, que permite todo o conjunto de efeitos cinematográficos, incluindo motion blur por pixel, grainha e campo de profundidade bokeh. O motion blur por objectivo é uma característica dos jogos da Naughty Dog desde Uncharted 2 e a implementação aqui poderá ser a sua melhor. Os vestígios visuais presentes em Uncharted 4 parecem ter sido limpos e como estão combinados com a grainha, permite um movimento geral mais limpo (como sempre, a intensidade pode ser ajustada no menu). O campo de profundidade bokeh surge nas cinemáticas, mas também é usado ao apontar ou executar uma morte furtiva. Também tem um aspecto excelente.
A interacção com objectos e materiais também é muito impressionante. As novas físicas da corda são altamente realistas, por exemplo. Em vários momentos, terás de apanhar e atirar uma corda ou cabo extensor e tem o seu próprio sistema de físicas. Além disso, quando te aproximas ou afastas do ponto de origem, a Ellie vai-se encurtar ou expandir o cabo em tempo real, um toque bonito. O vidro é usado em todo o jogo e gosto muito da animação quando parte. Tens mesmo a sensação do personagem embater um objeto numa superfície com vidro para causar danos ao invés de abanar e passar por ela sem sensação de impacto. Outro detalhe importante é o sistema de sangue, que reforça a sensação de consequência e inquietação quando combates. Após abater um inimigo com um golpe especialmente cruel, podes reparar no sangue que começa a formar-se ao redor da vítima, algo que ocorre mesmo quando o inimigo é morto na água.
Um dos maiores triunfos é a renderização de personagens. Isto é culminar de técnicas nas quais a Naughty Dog trabalhou ao longo da geração e o resultado final é excepcional. Começa com as sequências cinemáticas, renderizadas na sua maioria em tempo real, tal como em Uncharted 4. Como esperado, o nível de detalhe é absurdo, até à dispersão subsuperfície da luz na pele, o detalhe vai até às unhas e aos olhos. Isto é apoiado pelo mesmo nível de atenção ao detalhe na renderização da roupa e animações. A qualidade dos modelos, animação e performance é provavelmente a melhor que já vi. Após algum tempo, parece que estás a ver pessoas reais e não modelos 3D. Também vale a pena mencionar as transições ininterruptas, nada novo, mas a transição de cutscene para gameplay resulta muito bem.
A qualidade das animações está noutro nível. A Naughty Dog é conhecida pelo seu excepcional uso da animação, mas neste jogo, a equipa usa o conceito de "motion matching", técnica desenhada para facilitar a combinação de movimento dos personagens com os dados das animações. É alcançado ao capturar imensos dados de animação e depois construído um sistema para interpretar essa informação de forma realista. Isto significa que todas as animações básicas, incluindo correr, caminhar, virar e agachar exibem movimentos fisicamente corretos sem comprometer a resposta. Por isso sim, The Last of Us Parte 2 é o jogo com melhor resposta do que os anteriores jogos da Naughty Dog. Caminhas mais rapidamente pelo mundo, mas são as transições fluidas entre acções que mais se destacam.
A demo gameplay da E3 2018. O jogo fica perto, mas não alcança este nível.
Como resultado disto, o combate está melhor. As batalhas físicas receberam um tremendo upgrade, cada golpe faz com que o inimigo trema e se contorça, é muito mais visceral. Isto é melhorado pelo que sinto ser uma inteligência artificial muito superior, algo com o qual o original tinha problemas. Desta vez, as reacções e comportamentos dos inimigos e companheiros são mais naturais. É raro ver o teu companheiro correr para o meio de um campo quando deve ser furtivo, por exemplo, e os inimigos procuram por ti de forma mais credível. Também gostei da forma como correm as batalhas maiores com os inimigos a movimentarem-se pelo terreno, enquanto os teus companheiros até acertam alguns tiros. O inimigo até pode contornar-te para tentar apanhar-te desprevenido, é muito mais dinâmico.
Estes são os aspectos que mais se destacam, mas acredito que quem o jogar tirará as suas próprias mais valias. A conclusão é que depois de o terminar, fiquei impressionado. Vi muitos jogos AAA de topo nesta geração e muitos outros estúdios conseguiram impressionar, mas há algo nestas produções da Naughty Dog que se destacam. Este nível de polimento, no contexto de um jogo tão grande é difícil de bater.
The Last of Us Parte 2 mistura ambientes incrivelmente detalhados, com iluminação e materiais naturais com personagens com uma animação incrível e isso nunca deixa de impressionar. É uma produção da mais elevada qualidade como esperavas. Também apresenta um uso excepcional do som 7.1 e uma opção HDR muito boa. É especialmente envolvente nas áreas onde chove, o som das gotas a tocar nos objectos à tua volta acrescenta imenso.

Se tivesse de referir queixas, talvez fosse que o jogo final não está bem ao nível prometido na demo E3 2018. Não me interpretes mal, está perto, mas a animação e sombras não cumprem totalmente com a promessa dessa amostra. No entanto, quando olhas para o que foi feito como um todo, é uma excelente sequela que melhora imenso o gameplay e design de níveis sobre o original. A história poderá não agradar a todos, eu gostei, mas sem dúvida que é uma experiência gameplay superior, integrada dentro de um dos mais impressionantes feitos tecnológicos desta geração.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Cópia PS4 de Cyberpunk 2077 correrá no PS5

A CD Projekt RED esclareceu que poderás comprar Cyberpunk 2077 para a PlayStation 4 e mais tarde, se comprares um PlayStation 5, poderás co...

A CD Projekt RED esclareceu que poderás comprar Cyberpunk 2077 para a PlayStation 4 e mais tarde, se comprares um PlayStation 5, poderás colocar esse mesmo disco no teu novo console e jogar.

A companhia já tinha confirmado que isto seria possível entre o Xbox One e o Xbox Series X, tirando proveito da funcionalidade Smart Delivery da Microsoft, mas agora foi confirmado que o mesmo acontecerá entre os consoles PlayStation.
Depois de confirmar que Cyberpunk 2077 estaria disponível na Xbox Series X e PS5 no dia de lançamento de cada consola, foi agora confirmado que o mesmo disco poderá ser usado nas duas gerações PlayStation.
"Temos o gosto de confirmar que Cyberpunk 2077 será retro-compatível com ambas as consolas de próxima geração!"
"A tua cópia PS4 do jogo funcionará na PS5 no dia de lançamento. Qualquer pessoa que compre o jogo na Xbox One poderá jogar a sua cópia na Xbox Series X no lançamento da consola!"
Cyberpunk 2077 foi adiado para 19 de Novembro.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Três grandes personalidades brasileiras contam como eles viveram experiências inesquecíveis com a obra da Naughty Dog

Nós acreditamos que as melhores experiências e memórias das nossas vidas devem ser compartilhadas! E é por isso que você pode assistir ag...

Nós acreditamos que as melhores experiências e memórias das nossas vidas devem ser compartilhadas! E é por isso que você pode assistir agora, em nosso canal do YouTube, três histórias empolgantes que The Last of Us Remastered trouxe para esses grandes talentos brasileiros: a atriz e cantora Cleo, o influenciador digital Peter Jordan e o ator e comediante Totoro.


Cleo, Peter e Totoro contam em detalhes como eles se apaixonaram e se identificaram com os personagens do jogo e suas expectativas para The Last of Us Part II:

Assista à série The Last of Us Revisited: histórias emocionantes de grandes fãs dos games
Assista à série The Last of Us Revisited: histórias emocionantes de grandes fãs dos games
Assista à série The Last of Us Revisited: histórias emocionantes de grandes fãs dos games

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Horizon Forbidden West será lançado para PS5 em 2021

Após a revelação de Horizon Forbidden West na apresentação da PlayStation realizada na última semana, o estúdio Guerilla Games confirmou qu...

Após a revelação de Horizon Forbidden West na apresentação da PlayStation realizada na última semana, o estúdio Guerilla Games confirmou que a sequência de Horizon Zero Dawn chegará ao PS5 em 2021. A data específica não foi revelada.
A informação foi divulgada pelo diretor do game, Mathijs de Jonge, em um vídeo inédito em que ele fala sobre detalhes de Forbidden West. Assista abaixo:
De acordo com o diretor, a continuação da franquia promete ser ainda maior do que o jogo original. A protagonista Aloy vai embarcar em uma nova jornada para "resolver mistérios e segredos que vão mudar a vida dela para sempre". A heroína terá que viajar para uma região conhecida como Forbidden West, que antigamente abrigava os estados de Utah, Nevada e Califórnia, nos Estados Unidos.

"Com o poder adicional do PlayStation 5, podemos fazer um mundo mais detalhado, mais vibrante e mais imersivo", disse de Jonge. Segundo ele, graças ao drive SSD do novo console da Sony, Horizon Forbidden West não terá telas de carregamento. O diretor ainda promete que o sistema de viagem rápida será "super rápido".
O vídeo reforça o fato de que o mapa da continuação será maior e que também será possível explorar as profundezas de lagos e rios. O diretor garante que Forbidden West contará com "dezenas de novas máquinas", incluindo a Tremor Tusk, que parece um mamute gigante.
Aloy também encontrará novas tribos pacíficas e inimigas durante a jornada. Além desses mistérios, uma nova praga vermelha ameaça a existência dos seres vivos.
O PlayStation 5 será lançado no final de 2020, ainda sem data específica. Para mais, confira o visual do console e tudo sobre o PS5, incluindo especificações técnicas e outros detalhes.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

PESQUISA APONTA QUE 37,8% QUEREM NOVOS CONSOLES JÁ NO LANÇAMENTO

Um levantamento divulgado na última sexta-feira (12) mostrou que 37,8% dos brasileiros desejam comprar um console da nova geração já no lan...

Um levantamento divulgado na última sexta-feira (12) mostrou que 37,8% dos brasileiros desejam comprar um console da nova geração já no lançamento. Os dados integram a 7ª edição da Pesquisa Game Brasil (PGB), estudo que pesquisa sobre os hábitos dos jogadores no país.

O relatório também apontou que 54,4% dos entrevistados acham que o PlayStation 5 será o melhor console. O visual do videogame da Sony foi apresentado oficialmente na semana passada.
Em relação a opção de compra, 42,3% disseram que devem optar pelo PS5, enquanto outros 24,5% disseram que podem escolher o Xbox Series X. Uma parcela de 33,3% disse não ter interesse em nenhum dos dois.
O peso do preço
De acordo com a PGB, o fator mais importante para 73% dos jogadores brasileiros na hora de optar ou não pela aquisição dos videogames será o preço. 
Sobre o valor, metade dos pesquisados (50,4%) definiram R$ 2 mil como um preço justo a se pagar nos novos aparelhos. Enquanto isso, 28,2% consideram os R$ 3 mil um valor razoável para desembolsar. 
Uma parcela de 31,8% dos entrevistados disse, ainda, que os consoles deverão chegar por aqui custando entre R$ 2 mil e R$ 3 mil, enquanto outros 27,4% afirmaram que os aparelhos chegarão a R$ 5 mil.
A retrocompatibilidade é a segunda questão mais importante para os brasileiros em relação aos novos consolesA retrocompatibilidade é a segunda questão mais importante para os brasileiros em relação aos novos consoles
“Preço sempre é um assunto sensível para os brasileiros. A geração atual dos videogames, por exemplo, foi marcada por uma interessante guerra de preços, com o Xbox One sendo lançado no país por R$ 2.299.00 e o Playstation 4 por R$ 3.999.00, e a expectativa para esta nova geração de consoles é por um preço ainda superior”, explicou Guilherme Camargo, CEO do Sioux Group.
Apesar de ainda não possuírem uma data específica, PlayStation 5 e Xbox One serão lançados no final de 2020. 

Fonte: Voxel

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

"Os exclusivos são mais importantes do que nunca", diz a Sony

No dia 11 de Junho, a Sony revelou diversos jogos que estão a ser desenvolvidos pelos seus estúdios internos para a PlayStation 5, e seu co...

No dia 11 de Junho, a Sony revelou diversos jogos que estão a ser desenvolvidos pelos seus estúdios internos para a PlayStation 5, e seu console de próxima geração.

Jogos como Gran Turismo 7, Horizon Forbidden West e Ratchet & Clank: Rift Appart foram anunciados para o PlayStation 5 e representam os exclusivos que a companhia está a preparar, algo que será muito importante para tornar a console apelativa aos olhos dos consumidores.

Depois de Jim Ryan ter afirmado que a qualidade dos exclusivos é altamente importante, Simon Rutter, EVP da PlayStation na Europa, diz que os exclusivos se tornaram mais importantes do que nunca.

Questionado sobre o porquê da Sony não seguir a tendência vista na esmagadora maioria das editoras, Rutter respondeu que os "exclusivos são incrivelmente importantes. Mais importantes, diria, do que alguma vez foram."

"Através da sua proximidade com os criadores do sistema, os estúdios da PlayStation são capazes de extrair a sério o máximo da performance do sistema e isso é um atributo realmente valioso para quem lança um console."

"A PlayStation pode confiar numa rede de estúdios que conseguem demonstrar a sério as inovações que estamos a tentar apresentar, quando os exclusivos são tão poderosos quanto Marvel's Spider-Man ou Horizon, são jogos importantes que as pessoas querem jogar."

O exemplo dado por Rutter foi Gran Turismo 7, um jogo que mostrará grandes diferenças sobre o que viste na PS4, seja pelo uso do áudio 3D, quase total ausência de loadings ou a forma como sentes cada curva com a ajuda do DualSense.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...

Animador de The Last of Us diz que estúdios da Microsoft não estão ao nível da Sony

No decorrer de 2018 Microsoft comprou diversos estúdios para aumentar o seu leque de propriedades intelectuais e para apostar no desenvolvi...

No decorrer de 2018 Microsoft comprou diversos estúdios para aumentar o seu leque de propriedades intelectuais e para apostar no desenvolvimento de mais exclusivos Xbox de qualidade.
Os estúdios que a Microsoft comprou foram a Ninja Theory, a Compulsion Games, a Playground Games, a Undead Labs, a Obsidian Entertainment e a Inxile. Além disto, também criou o The Initiative, um novo estúdio localizado em Santa Mônica, California.

Apesar da aquisição da Microsoft de todos estes estúdios, Jonathan Cooper, que foi animador em múltiplos títulos como The Last of Us, Uncharted, Mass Effect e Assassin's Creed, não está convencido que estão ao mesmo nível dos estúdios first-party da Sony.
Jonathan Cooper, que também é o autor do livro Game Anim: Video Game Animation Explained, disse numa discussão no Twitter que "nenhum dos estúdios comprados estão ao mesmo nível do que os first-party da Sony, apenas vão chegar lá com apoio, contratação a longo prazo e ajuda financeira".
"No entanto, prefiro esta opção em vez de criar estúdios inteiramente novos que não têm qualquer cultura partilhada," acrescentou Cooper.
Com a excepção do The Initiative, que é um estúdio criado de raiz, todos os estúdios adquiridos pela Microsoft têm vários anos de experiência, como é caso da Ninja Theory, Playground Games, Undead Labs Obsidian e Inxile.
Ainda assim, concordas com as palavras de Jonathan Cooper?

5+ studio purchases over last 18 months feels like step in right direction to compete with God of War, HZD, LOU, Uncharted, and Spidey. And I think Stranding is exclusive too?
None of the purchased studios are at the same level as Sony 1st party, and will only get there with support and long-term hiring and financial support. I do prefer this route to creating entirely new studios that have no shared culture though.
192 pessoas estão falando sobre isso

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...