News

FINAL FANTASY XV: TRAILER MOSTRA CONTEÚDO DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2017

A Square Enix divulgou nesta terça-feira (7) um trailer que mostra os conteúdos adicionais de Final Fantasy XV planejados para o primeiro s...

A Square Enix divulgou nesta terça-feira (7) um trailer que mostra os conteúdos adicionais de Final Fantasy XV planejados para o primeiro semestre de 2017, inclusos no passe de temporada do game.


O vídeo começa com o Festival Moogle Chocobo, evento in-game que acontece até 20 de fevereiro. Em seguida, vemos cenas do Booster Pack, que será distribuído em duas versões: a gratuita, que inclui roupas para os protagonistas (e foi adiada), e uma para donos do passe de temporada, que receberão não só os uniformes como também armas, vara e linhas de pesca em 21 de fevereiro.
Também em 21 de fevereiro serão adicionados suporte ao PS4 Pro, missões com tempo limitado de disponibilidade, aumento do level máximo para 120, aumento da capacidade de fotos armazenadas para 200 e a possibilidade de ouvir músicas enquanto anda de Chocobo.

Há também cenas do Episode Gladiolus, conteúdo que chega em 28 de março, mesma data em que as mudanças no Capítulo 13 da campanha de Final Fantasy XV serão implementadas. Por fim, há uma prévia do Episode Prompto, que deve chegar em junho, ainda sem data definida.
Final Fantasy XV já está disponível para PlayStation 4 e Xbox One -- este aguardado RPG da Square Enix foi elogiado por trazer "uma mensagem universal sobre amizade e resgatar o que é Final Fantasy".

6 comentários:

  1. Gostei do jogo, etc, mas ainda estava na metade quando decidi que não compraria season pass. O jogo já teve muito potencial desperdiçado, muito gameplay bagunçado (ainda não animei a passar 1h numa luta tediosa com Adamantoise p poder platinar) e não engulo essa de picotar a história. Nada de "não dá para jogar com os outros personagens? Vamos colocar isso num DLC". "Ah, o passado de Prompto não tem qualquer desenvolvimento? Vamos colocar isso num DLC!" "Um personagem some do nada e volta do nada e o jogo não dá a mínima p isso? É para sacrificar o jogo e colocar num DLC!".

    ResponderExcluir
  2. Felizmente ainda temos grandes empresas, como a Cd Projekt Red e a Rockstar que não aderem a essas palhaçadas.

    ResponderExcluir
  3. "...este aguardado RPG da Square Enix foi elogiado por trazer "uma mensagem universal sobre amizade e resgatar o que é Final Fantasy"..."

    FFXV é um fracasso se for levar para esta premissa de "resgatar o que é Final Fantasy". Só é possível controlar o protagonista e os outros 3 personagens apenas por meio de comandos pré-selecionados. Os FF tradicionais permitiam controlar todos os membros da equipe, incluindo personagens com breve participação.

    Os laços de amizade no game é cativante e até as breves cenas de romance entre Luna e Noctis, porém nada grandioso se compararmos com as belíssimas cenas que FFVIII e FFX nos proporcionaram entre os casais Rinoa e Squall, Yuna e Tidus. Antigamente FF unia bem amizade e amor, e foi um dos responsáveis por trazer mais garotas nos video-games que naquela época ainda sofriam forte preconceito.

    FFXV é um game totalmente desbalanceado, um grupo de monstros no level 40 pode ser abatido pelos personagens no lvl 1.

    A história do FFXV é boa mas medíocre pelo limitado tempo que ela desenrola ao estilo dos games de ação. Não vejo o FFXV como RPG, pra mim é mais um hack'n'slash da vida com elementos de RPG.

    Não existe mais a emoção de explorar o mapa como antigamente, hoje basta dirigir um carro e partir estrada afora. A idéia de criar o mundo aberto foge totalmente dos padrões que a série sempre ofereceu ao jogador, agora só é possivel viajar com um carro mais lento que um chocobo sem a presença dos meios de transporte locais por meio de: dirigível, aeronave, barco, teleférico, trem e metrô. Ah espera, o carro pode se transformar num DeLorean voador!

    O rápido ganho de level e AP que outrora costumavam ser duas coisas que prendiam o gamer por semanas e até meses pra upar o grupo pro gamer poder tentar a sorte contra os monstros mais poderosos no pós game.

    O conteúdo pós game não é desafiador pois o game é no estilo Megaman, selecione a habilidade certa para abater os inimigos com estas fraquezas.

    Não adianta nada por mais 21 levels no game na tentativa de prender o gamer se não existem desafios a serem batidos.

    Falta o nível hard e até survivor neste action game. Já que de RPG não tem nada.

    Agora me vem com DLCs para complementar uma história tão mal elaborada, a série FF morreu no 10° jogo e virou uma bosta do X-2 em diante.

    Por fim essa massa de fanboys retardados que endeusam FFVII já estão dando nos nervos, só por ter sido o 1° game da série em 3D lol e os antigos FF 1 ao 6 eram desafiadores, tinham bom enredo, até hoje considero FF1, 2, 4 e 6 os melhores games da série. Prefiro um remake dos antigos FF do que do VII que já basta. O tempo do VII ja passou agora os fanboys otários irão apreciar um remake do FFVII picotado em episódios e sentirão felizes feito um bando de retardados em pagar caro por cada parte do jogo que com toda certeza não será como o finado Xenosaga do PS2 que teria 6 episódios e teve apenas 3. A Square-Enix esta destruindo FFVII e a única coisa que os fanboys conseguem fazer é vibrar de alegria com cada bobagem que esta empresa medíocre posta em suas redes sociais ou anuncia em feiras de games em todo mundo.

    Fanboys, principalmente os lixos que babam por VII e esperneiam sempre por qualquer coisa do jogo, são as principais razões da série FF ter ido parar no lixo. Não permitem a empresa dar continuidade nos games da série, exigem sempre a inclusão de alguma coisa que recorde FFVII, o FFXV absorveu aquele estilo de luta utilizado em Advent Children.

    Pra ser considerado um game legítimo da série precisa trazer história, elementos e enredo únicos que jamais foram presença em outros games da série. É mais gratificante jogar um GTA ou um God of War do que gastar tempo neste jogo chato que por sinal não consigo jogar por mais de 1 hr de tão chato que é este jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FFXV não é bom a ponto de ser um GOTY mas merece uma nota 8.0 mesmo não sendo lá estas coisas, é um bom jrpg porém este gênero esta em decadência desde 2002 porque as softhouses japonesas tem dificuldades para acompanhar o estilo dos games ocidentais que priorizam o open world por este estilo estar na moda já há alguns anos. E sim, FFXV tenta ser um jrpg mas não passa de um game de ação com elementos de rpg.
      Quer interatividade, jogue MMO, quer casualidade jogue os Movie games em geral que não passam de cópia de outros jogos consagrados.

      Ridículo como as softhouses e o ser humano é limitado e precisa seguir "aquilo que mais vendeu na última geração". O gênero Open World já esta dando nos nervos de muitos gamers, inclusive eu, pela mesmice e se não houver ferramentas para incrementar a diversão e estes jogos não parecerem "desertos em mundo aberto" o que pode acontecer com este gênero é a morte e a tentativa das softhouses pode vir a ser a realidade virtual e os games em 1ª pessoa. Resident Evil 7, The Evil Within são dois games que seguem o estilo de outros games do PC como Alone in the Dark, Slender e outros vários titulos exclusivos do PC que chegaram aos consoles fazendo sucesso.

      Enfim, The Witcher 3 merece o GOTY em 2016 junto à The Last Guardian e outros games de outros gêneros, A SE vendeu muito Hype com o marketing do jogo e nada mais, é com isto que ela garante o estrondoso lucro do game, situação que já esta mudando com a onda de críticas de gamers de cada canto do mundo.

      Excluir
  4. Se as add-ons forem lançamento semestral, a SE que vá p/ aquele lugar.

    ResponderExcluir
  5. Final Fantasy XV é jogo de nicho e ponto final.

    ResponderExcluir

Nos deixe saber sua opinião...