News

O início do fim da nova geração começou e os conceitualistas já estão de olho no  PS5 . Portanto, não demorou muito para que muitas ideias ...

O início do fim da nova geração começou e os conceitualistas já estão de olho no PS5. Portanto, não demorou muito para que muitas ideias e previsões surgissem na internet. Joseph Dumary é um dos fãs empolgado com a nova plataforma da Sony, com isso, já adiantou um conceito dele. 8K, Dualshock com tela de toque e sensor biométrico, sem entrada para discos e até reconhecimento de clima faz parte do pacote.

Assim como todo conceito, existe muita “imaginação além dos nossos limites”, mas admito que tem algumas boas ideias. Não estou falando do reconhecimento de clima (isso seria bem inútil) mas coisas como HDMI Air, tradução em tempo real no chat e carregamento sem fio. São ideias possíveis e que faria uma boa diferença na nova geração de consoles. O conceito ainda aposta que ele poderá vir com o processador Ryzen 2 da AMD.
Confira abaixo:



E você gostou deste conceito? Acha que ele possível ou que passa longe de se tornar uma realidade na nova geração?

O começo de 2019 vai exigir um certo planejamento financeiro em razão da grande quantidade de grandes lançamentos de peso. A Capcom anuncio...

O começo de 2019 vai exigir um certo planejamento financeiro em razão da grande quantidade de grandes lançamentos de peso. A Capcom anunciou Devil May Cry 5durante a conferência da Microsoft da E3 2018 e divulgou de antemão o período de lançamento: o outono de 2019.

Isto colocaria o game chegando às prateleiras entre março e junho do ano que vem. No entanto, um comunicado para a imprensa divulgado posteriormente ressaltou que Devil May Cry seria lançado “antes do final de março”, encurtando bastante o período inicialmente divulgado.
Vale lembrar que a Capcom havia apontado em seu relatório financeiro que lançaria dois grandes títulos até o final do atual ano fiscal, que se encerra justamente em março de 2019.
A empresa já anunciou estes dois grandes jogos. Além de Devil May Cry 5, o primeiro trailer de Resident Evil 2 Remake foi exibido durante o showcase da PlayStation na E3 2018 e será lançado em 25 de janeiro de 2019, também dentro do prazo estipulado pelo relatório financeiro.
Em Devil May Cry 5, uma árvore gigante com raízes que sugam sangue apareceu repentinamente na cidade provinciana de Red Grave City e começou a atacar as pessoas. Nero, um exterminador de vampiros viajante, se dirige para lá em sua van “Devil May Cry”. Sua parceira, Nico, o acompanha, e se auto-proclama uma “artista de armas”.

Uma mensagem de “Feliz Dia dos Pais” no Twitter de Hideo Kojima pode ter revelado um detalhe importantíssimo de Death Stranding: ao que tud...

Uma mensagem de “Feliz Dia dos Pais” no Twitter de Hideo Kojima pode ter revelado um detalhe importantíssimo de Death Stranding: ao que tudo indica, o misterioso bebê que é uma das estrelas de todos os trailers do game é mesmo filho de Sam, personagem que é interpretado do Norman Reedus no jogo.

No último domingo (17), foi comemorado o Dia dos Pais em diversos países, incluindo os Estados Unidos. E Kojima postou na rede social uma simples mensagem “Happy Father’s Day”, com emojis de caranguejos, peixes e baleias – todos seres aquáticos que também já apareceram bastante nos trailers do game.
A possibilidade de Sam ser pai do tal bebê vinha sendo considerada desde o segundo trailer do game – aquele em que Guillermo del Toro e Mads Mikkelnsen aparecem. Nele, Del Toro parece estar escondendo o bebê de Mads. Mas um boneco do bebê vai na direção de Mads e tem uma cicatriz na barriga igual à de Sam no primeiro trailer.
Essa imagem já começou a fazer com que os rumores sobre isso circulassem. Até pela forma como Sam interage com o bebê também no primeiro trailer. Obviamente, o tweet de Kojima não é, necessariamente, uma confirmação disso. Até porque, nesse último trailer da E3 2018, vimos que Sam tinha uma família, independente desse bebê.

De qualquer forma, é no mínimo curiosa a publicação. Recentemente, em entrevista ao The Hollywood Reporter, Kojima também falou um pouquinho do gameplay e da história de Death Stranding.

Olá fãs PlayStation! A E3 pode ter acabado, mas não vamos deixar a animação diminuir! Estou aqui para anunciar o PlayStation na Estrada,...

Olá fãs PlayStation!
A E3 pode ter acabado, mas não vamos deixar a animação diminuir! Estou aqui para anunciar o PlayStation na Estrada, uma iniciativa inédita no Brasil que traz até você a emoção dos seus games favoritos!
É isso mesmo, a partir do dia 16 de junho, vamos cair na estrada, levando jogos incríveis, incluindo títulos PlayStation VR, até sua cidade. Começando em São Paulo capital, o #PlayStationNaEstrada passará por várias cidades, para encontrar os fãs PlayStation onde quer que estejam!
Basta comparecer e se divertir, são 5 estações de games, mais uma exclusiva para o PS VR. E tem mais, teremos uma série de brindes para aqueles que comparecerem!  
São 13 paradas em 4 estados do país. Veja abaixo a tabela com as datas e locais:
CidadeEndereçoDiaHorário
São PauloShopping Center 3, Av. Paulista 206416/0611:00-20:00
CampinasRua Castro Alves, 508 (em frente à Miami Store)22/06 a 24/0611:00-19:00*
SantosAv. Pedro Lessa, 2098 (em frente à Moove Games)28/06 a 30/06A definir
*O horário na sexta-feira, dia 22, é das 12:30 às 20:30.
Mais cidades a serem confirmadas em breve. Fique ligado no nosso blog e em nossas redes sociais para mais informações sobre o #PlayStationNaEstrada.
Até mais, e nos vemos na estrada!

O showcase da Sony na E3 começou e estendeu-se de forma muito diferente quando comparado aos anos anteriores. Na primeira revelação, os par...

O showcase da Sony na E3 começou e estendeu-se de forma muito diferente quando comparado aos anos anteriores. Na primeira revelação, os participantes foram levados para um cenário montado que remetia a uma igreja. Então, Gustava Santaolla subiu ao palco e começou a trilha sonora de The Last of Us Part II no banjo. Logo em seguida, o novo trailer do jogo (ambientado na própria igreja) foi revelado.

A conferência se manteve neste este ritmo, mesmo após os expectadores terem se locomovido da igreja para o auditório em que os outros trailers foram mostrados. Para a Sony, o formato apresentado foi para evitar a “superficialidade das conferências” e deixar que “os jogos falem por si próprios”.
Em entrevista a GamesIndustry.biz, Michael Denny, da Sony Worldwide Studios, revelou que o showcase foi para aprofundar-se nos títulos já confirmados – o Big 4 – e realizar algo totalmente diferente.
Na PlayStation, nós gostamos de fazer as coisas diferentes. Alterar alguns limites aqui ou ali. Neste momento, nós queremos focar nestes grandes quatro exclusivos jogos e ir profundo nestes jogos. No passado, eu penso que as conferências eram um tanto quanto superficiais, apenas passando de um jogo para outro… Agora, é uma abordagem diferente. É sobre deixar os jogos falarem por si mesmos.
Apesar do showcase ter sido planejado para mostrar com mais ênfase os principais jogos, não foi exatamente isso que aconteceu na prática. Tudo se resumiu aos trailers convencionais e poucas explicações. O tal ‘aprofundamento’ não aconteceu durante a conferência.

Segundo o presidente da Worldwide Studios, Shuhei Yoshida, a Sony ainda não possui planos para outras conferências neste ano de 2018. Os ...

Segundo o presidente da Worldwide Studios, Shuhei Yoshida, a Sony ainda não possui planos para outras conferências neste ano de 2018. Os dois próximos eventos de grande porte são a Gamescom (Alemanha) e a Paris Game Week (Paris), mas a empresa não deve agendar apresentações para imprensa nestes.
Em termos de eventos para este ano, ainda não decidimos nada após a E3 2018. Bom, na verdade, estaremos presentes na Tokyo Games Show, então já é um. Já para outros oportunidades, nós não estamos prontos para falar sobre elas.
Apesar de não agendar conferências, a companhia deve comparecer através de estandes e estações de jogos. Ao que parece, novidades inéditas só devem ser apresentadas na PlayStation Experience, em dezembro.

Showcase diferente

O evento de anúncios da companhia na E3 deste ano foi bem diferente. As apresentações foram realizadas em um formato que não agradou muito. A ideia era de que houvesse mais profundidade na demonstração dos quatro grandes exclusivos, mas a prática se mostrou um pouco oposta.
E se você não gostou muito da maneira como os jogos foram mostrados, talvez tenha que se acostumar, já que existe uma tendência da Sony continue a testar outros modelos de apresentações.

A Naughty Dog permanece um tanto enigmática sobre a história que veremos em The Last of Us Part 2. Poucos detalhes sobre a trama foram...


A Naughty Dog permanece um tanto enigmática sobre a história que veremos em The Last of Us Part 2. Poucos detalhes sobre a trama foram realmente divulgados, mas temos algumas pistas do que pode acontecer neste novo jogo.
Segundo Neil Druckmann, o diretor criativo, o conceito por trás do game será o sentimento de ódio.
“Se o primeiro jogo foi sobre o amor entre Ellie e Joel e como construímos isso, o segundo é o oposto. É sobre ódio. Sobre como usamos toda essa construção para que você sinta isso por Ellie, que é a protagonista. E isso é tudo o que vou dizer. Joel foi a estrela no primeiro, Ellie é a do segundo. Há evoluções, revoluções, mas vamos falar disso no futuro”.
No game, a protagonista está com 19 anos e desde a jornada com Joel no primeiro jogo, vive com tranquilidade no Condado de Jackson, no estado do Missouri nos Estados Unidos. Ela teve a chance de ter uma adolescência tranquila e de construir relacionamentos duradouros. A suposta paz é abruptamente destroçada com um ato de violência, e Ellie é jogada em uma jornada brutal de vingança, alimentada pela necessidade de trazer aqueles que a fizeram mal à justiça, levando-a a descobrir seus limites.
É bem provável que o local em que Ellie vive estes momentos de paz seja a comunidade criada por Maria (a esposa de Tommy) em torno de uma usina hidrelétrica. O local realmente parecia perfeito para viver uma vida normal: energia elétrica, recursos, fortificações pessoas de boa índole e conhecidas.
O grande mistério de The Last of Us Part 2 são as motivações de Ellie e o que pode ter causado o “ódio” que a move em uma nova jornada.

Os alvos de Ellie

É provável que os alvos do ódio e da vingança que Ellie parece tramar no primeiro trailer de The Last of Us Part 2 seja o grupo que aparece no vídeo divulgado na Paris Game Week de 2017.
O tal grupo aparenta ser uma espécie de seita com regras próprias, cujo objetivo é expurgar os “pecados” das pessoas através da execução, tortura ou da violência física.
No trailer, a personagem misteriosa é literalmente levada à forca e confrontada por uma mulher chamada Emily, que parece ser uma espécie de líder. Emily afirma que a personagem misteriosa está “infectada pelo pecado” e ameaça cortar sua barriga. Ela também se refere a seus inimigos como “apóstatas” uma palavra um tanto arcaica para se referir a “infiel”, reforçando que possa existir alguma motivação de cunho religioso por trás do grupo.
As pessoas lideradas pela “vilã” do trailer usam as mesmas roupas (capas de chuva escuras) que o os oponentes de Ellie no trailer de gameplay divulgado nesta E3. Ao que tudo indica, nestes dois momentos diferentes, vemos o mesmo grupo ou seita em ação.
Durante a Paris Games Week, Druckmann afirmou que The Last of Us Part 2 terá “voltas ao passado“, trazendo flashbacks de momentos que, inclusive, precedem a história do primeiro jogo.
Isso levou muita gente a cogitar que a cena apresentada no evento seja um desses momentos de “volta ao passado”. Na época, surgiram teorias de que a mulher enforcada – a única cujo nome não foi revelado pela Naughty Dog – fosse a mãe de Ellie.
Uma questão que também chamou a atenção no trailer da Paris Game Week é o fato de a personagem misteriosa ser ameaçada com uma faca no ventre baixo, bem onde costuma-se fazer o corte de uma cesariana, por exemplo. Esta poderia ser uma indicação de que ela estaria grávida na cena. Membros da Naughty Dog também já afirmaram que uma personagem estará grávida em The Last of Us Part 2, o que pode reforçar esta teoria.
Todas estas questões nos levam a cogitar que as relações entre Ellie e este grupo – e o motivo de sua vingança – sejam muito antigos e que datam de até antes de seu nascimento.

O beijo é um flashback?

O trailer mais recente de The Last of Us Part 2 nos apresentou parte da comunidade da qual Ellie faz parte em Jackson. O vídeo introduz Jessie, um amigo de Ellie e Dina, interesse amoroso da protagonista.
A cena do beijo entre as duas nos leva até um trecho de gameplay que mostra Ellie lutando contra um grupo de inimigos. A associação entre estes dois momentos bastante contrastantes – de ternura e de violência – é mais uma forte indicação de que o grupo religioso pode estar associado ao tal “evento traumático” que faz com que Ellie perca sua vida normal em Jackson.
No entanto, se o jogo é sobre esta jornada de vingança de Ellie, este é o “momento presente” – a luta contra o grupo religioso. Então é provável que a cena da festa e o beijo com Dina seja um flashback ou até mesmo o ponto de partida de The Last of Us Part 2.
Ainda não se sabe as motivações reais da tal seita, mas considerando todo o discurso sobre “o pecado” e que a mulher misteriosa do vídeo da Paris Game Week pode estar sendo caçada por estar grávida, talvez Ellie esteja sendo perseguida por ser homossexual. Isto também colocaria Dina como um alvo do grupo.

A possível morte de Dina


Shannon Woodward (Westworld) é Dina.

O fato de Dina ser apresentada como namorada de Ellie em na Part II acendeu um sinal vermelho para ela ser uma vítima desta história. A morte da personagem poderia ser o motivo pelo qual Ellie busca vingança.
Usuários do Reddit perceberam um detalhe bastante importante. Durante a cena do beijo, Dina usa uma pulseira que vai parar no pulso de Ellie durante os trechos de gameplay.
Nos fóruns, um fã apontou que a pulseira de Dina contém um hamsá, uma espécie de amuleto em formato de mão, com função de proteção. Apesar de ter uma origem pagã no Oriente Médio, o hamsá se tornou um símbolo dos judeus.
A origem judaica de Dina, inclusive, foi confirmada por Neil Druckmann. O diretor criativo de The Last of Us Part 2 viveu em Israel durante a infância e confirmou que era um desejo seu incluir um personagem com esta característica – especialmente com a política atual da Naughty Dog de trazer temas mais inclusivos.
Portanto, o adereço de Dina não é uma mera “bijuteria”. É um símbolo de suas origens e, certamente, algo muito importante para ela. O fato de o objeto ter parado no pulso de Ellie é mesmo um alerta de que Dina não tem um destino feliz e que esta pode ser mais uma motivação para a protagonista buscar vingança.
Assim como Ellie, Dina pode ter sido morta pelo grupo misterioso por ser homossexual ou por estar alinhada à outro tipo de crença religiosa. Não se sabe também se a seita é movida por questões étnicas, por exemplo. Este fator também poderia colocar outra pessoa em risco: o amigo de Ellie que vimos no trailer da E3, Jessie, que é oriental.

E Joel?

Joel anda muito sumido, o que está deixando os fãs de The Last of Us bastante preocupados.
A primeira teoria que tomou conta da internet após o trailer de anúncio de The Last of Us Part 2 foi a possibilidade de Joel estar morto – esta seria a grande motivação por trás do ódio e vingança de Ellie.
Uma série de detalhes estariam por trás da teoria. A primeira seria a forma como Joel entra em cena no trailer: o personagem vem caminhando de uma luz branca que dá um efeito meio “etéreo” ao seu andar. O vídeo também é bastante focado em Ellie, e quase não mostra Joel. O rosto do personagem sequer aparece e até hoje sequer temos uma arte ou imagem de Joel em The Last of Us Part 2.
Até Dina e a vida normal de Ellie aparecerem neste trailer da E3, Joel é realmente a coisa mais preciosa que a personagem possui. Perder uma figura como ele, certamente seria um baque. No entanto, ainda não se sabe como fica a relação de dos dois após a mentira do final de The Last of Us.
Porém, ainda que existam evidências de que a morte de Dina seja a força que move Ellie em seu caminho de vingança, talvez Joel também não esteja seguro.
O personagem é citado durante este trailer da E3 2018. Jesse o chama de “Your Old Man” – “o seu velho”, claramente uma alusão à figura paterna de Joel para Ellie – e comenta que levou um puxão de orelha sobre as patrulhas no entrono da comunidade. Portanto, Joel está, sim, em Jackson.
O curioso é o diálogo chamar atenção para as patrulhas. O mundo de The Last of Us certamente não é seguro, e a comunidade deve ser protegida tanto dos infectados quanto de outras pessoas que podem ser até mais mortais do que os clickers. O local vive sob constante risco de ataques.
Para que Dina seja morta, é provável que o tal grupo acabe invadindo a comunidade em Jackson. A situação do trailer da E3 2018 é propícia: muitos dos habitantes estão distraídos na festa. Se Joel está na comunidade, ele também é uma vítima em potencial dos grupo misterioso.
Vale lembrar que:
A Naughty Dog está evitando falar sobre Joel.
Neil desviou de perguntas sobre o personagem várias vezes e apenas afirmou que “ele está em algum lugar lá fora”.
Ellie é o único personagem jogável em The Last of Us Part 2.
Isso não é exatamente inesperado, considerando que ela é a protagonista e a possibilidade de jogar com Ellie no primeiro jogo foi algo totalmente movido pela própria narrativa. No entanto, no gameplay da E3 vemos Ellie lutar sozinha, o que pode indicar que Joel não estará presente ao longo desta jornada por vingança. Isto pode acontecer ou por que ele foi um alvo do grupo ou por que, por algum motivo ainda não explicado, não se uniu à Ellie.

Talvez seja mais simples do que tudo isso

A imagem da pulseira de Dina depõe fortemente pela morte da personagem, mas este ser o único fator que motiva Ellie ir atrás de vingança parece muito clichê para as narrativas da Naughty Dog.
O que Ellie conquista em Jackson certamente é algo muito grande para ela. Agora, a protagonista tem uma namorada, amigos, uma família e liberdade. Algo que nunca esteve presente em sua vida até ela e Joel rodarem os Estados Unidos atrás dos Vaga-Lumes.
Ellie cresceu dentro de uma cidade sitiada, em quarentena. Ela queria ver o mundo lá fora e ter as mesmas experiências da amiga, Rilley. Talvez o que mova a protagonista em direção ao caminho da vingança seja a perda desta “vida normal” em Jackson – a morte de várias pessoas queridas, não apenas a da namorada. O tal “evento traumático” para Ellie pode ser a destruição deste sonho, de algo que ela idealizou desde criança, e Dina seria apenas um símbolo de tudo isso e não exatamente o único motivo.

Final Fantasy 7 Remake, da Square Enix, foi uma das maiores ausências na E3 2018, e pode estar longe do lançamento oficial. Entretanto, Tet...

Final Fantasy 7 Remake, da Square Enix, foi uma das maiores ausências na E3 2018, e pode estar longe do lançamento oficial. Entretanto, Tetsuya Nomura, diretor do game, deu um pouco de esperança aos fãs, dizendo que o remake deixou para trás a fase conceitual e entrou na fase de desenvolvimento. Ao IGN, Nomura falou que o título está sendo desenvolvido junto com Kingdom Hearts 3, game que também está dirigindo.


O diretor complementa, dizendo que está completamente investido em Final Fantasy 7 Remake -- isso é, quando não está trabalhando em Kingdom Hearts 3. "Não está apenas nas fases conceituais iniciais. Estamos em desenvolvimento. Então agora, eu estou 100% investido em Kingdom Hearts, 100% investido em Final Fantasy 7 e 100% investido em Kingdom Hearts e isso vai e volta."


Ele está dedicando horas no escritório para fazer isso, mas não é um incômodo a Nomura. Inclusive, ele prefere trabalhar horas extras a ter tempo de lazer para passar com outras pessoas.

"Eu não fico exausto por causa disso", explica. "É realmente divertido para mim. Eu não gosto de relacionamentos humanos mais do que trabalho, então eu só quero focar em trabalho e criar coisas para não ter que lidar com relacionamentos humanos. É até um pouco mais fácil para mim."
Ter tantos fãs o auxilia. Além de permitir que ele tenha uma carreira fazendo games, os fãs também o mantém investido no trabalho. "Eu preciso dos fãs para jogar meus games, para poder criá-los, e fãs são um fator que me motiva a continuar", disse.


Kingdom Hearts 3 será lançado em 29 de janeiro de 2019 para PlayStation 4 e Xbox One, e pode contar com uma eventual expansão. Até lá, Nomura não dará outros detalhes sobre o game, embora tenha comentado o que o game significa para Sora

Fortnite chegou à Switch com um valente estrondo, com mais de dois milhões de descargas em apenas 24 horas, mas como reportámos há dias, aq...

Fortnite chegou à Switch com um valente estrondo, com mais de dois milhões de descargas em apenas 24 horas, mas como reportámos há dias, aqueles que jogavam o badalado Battle Royale na sua Playstation 4 teriam de criar uma nova conta caso pretendessem jogar na híbrida da Nintendo. Agora, a Sony responde à controvérsia.


"Estamos sempre prontos a ouvir aquilo que a comunidade Playstation tem a dizer a fim de melhorar a experiência do jogo. Fortnite é um sucesso para a PlayStation 4, oferecendo uma experiência free-to-play que os jogadores podem desfrutar online. Com 79 milhões de consolas PlayStation 4 vendidas em todo o mundo e mais de 80 milhões de usuários activos na PlayStation Network, somos uma grande comunidade que gosta de jogar Fortnite e outros títulos online juntos", disse um porta-voz da Sony à BBC.
"É por isso que permitimos cross-play com outros dispositivos como PC, Mac, iOS e Android, permitindo que jogadores de Fortnite na PlayStation 4 joguem com utilizadores de outras plataformas", concluíram.

Há um contraste em Ghost of Tsushima. Enquanto você pausa para apreciar uma paisagem linda ou admirar uma nuvem de fumaça ondulando no hori...

Há um contraste em Ghost of Tsushima. Enquanto você pausa para apreciar uma paisagem linda ou admirar uma nuvem de fumaça ondulando no horizonte, você provavelmente será removido do seu devaneio pelo encontro de aço e um súbito derramamento de sangue cobrindo as folhas ao seu redor.

A Sucker Punch criou um mundo realista e vibrante, cheio de cores e beleza, mas como plano de fundo, em contraste com esse conflito real, brutal, cheio de guerra e violência.
Numa apresentação à portas fechadas na E3 2018, o co-fundador da Sucker Punch, Chris Zimmerman, explicou que o time tinha três princípios em mente enquanto desenvolvia Ghost of Tsushima: lama, sangue e aço. Baseado na demo que vimos, os três sempre vão estar presentes.

Não é difícil ver inspiração de várias fontes quando você olha para Ghost of Tsushima, e Zimmerman diz que algumas das influências mais óbvias, os filmes de Akira Kurosawa, tem tanta relação com o mundo em si quanto com o ambiente de samurai.

“Se você assistir a um filme do Kurosawa, uma das coisas que é muito interessante é que tudo está se movendo o tempo todo,” ele explicou. “Você nunca vê uma imagem estática. Tem sempre coisas naturais rolando no fundo, seja a grama balançando, nuvens passando, penugem no vento ou folhas caindo. A beleza natural é uma parte super importante desta experiência.”
A beleza natural é uma parte super importante desta experiência.
A beleza natural (e a forma como você a perturba) certamente está em cena, com um verde rico em destaque enquanto você passeia pelos campos de Otsuna. Em um ponto da demo, uma batalha contra três invasores Mongóis numa poça de lama deixou manchas de lama em toda a roupa do protagonista Jin, e deixou o chão coberto de pegadas (e manchas de sangue) onde a batalha aconteceu.
O time na Sucker Punch tomou muito cuidado para manter autenticidade, fazendo várias visitas à verdadeira ilha de Tsushima para ter referências. Mesmo com um elenco predominantemente de pessoas cuja primeira língua é japonês, Zimmerman disse que eles também tinham um técnico de diálogo no jogo para garantir um japonês autenticamente antigo, “para não ter modernismos na fala, para que fique correto.”
 

A demo que vimos estava rodando em um PS4 Pro e foi um passeio pelo gameplay da conferência da Sony na E3, começando no mundo aberto, a cavalo, e então passando por um corredor de floresta e se aproximando de um templo. De acordo com Zimmerman, essa sequência inteira, incluindo as cenas mostradas no palco, na verdade é um side-quest, e não faz parte da história principal do jogo.

Isso o cristaliza nas suas mentes e na mente de todo o povo japonês dessa ilha que esse é um personagem semi-místico. Este fantasma que foge de suas mãos.
“Teremos uma história principal no jogo, e é muito maior do que os jogos que fizemos no passado,” Zimmerman disse. “Se você está tentando dizer, ‘isso vai ser como inFamous?’ Mais ou menos, mas bem maior.”
O título do jogo se refere ao protagonista, Jin, um dos últimos samurai que está resistindo à invasão Mongol no Japão. Por mais que milhares de invasores estejam presentes na ilha, eles ainda não conseguem matar este homem.
“O que eles fazem? Há uma mitologia que se constrói ao redor dele. Eles contam histórias. Eles terminam ficando aterrorizados por esse cara. Você vai ver o que ele faz com eles. Isso o cristaliza nas suas mentes e na mente de todo o povo japonês dessa ilha que esse é um personagem semi-místico. Este fantasma que foge de suas mãos.”
Zimmerman explicou que o jogo é a evolução de Jin enquanto ele supera o seu treinamento samurai, em termos de combate e travessia e, também, de ideologia. Na demo, Jin usa um gancho para escalar um templo. Uma das várias formas de sobreviver que ele é forçado a encontrar. “Ele não pode simplesmente ser um samurai e torcer pra ganhar, então ele é forçado a inventar e descobrir coisas, ir além do que lhe foi ensinado e inventar algo novo para ser vitorioso no fim.”
 

Ainda assim, vai ter muito mais combate tradicional no estilo samurai, de encontros com grupos de inimigos até o belíssimo duelo um-contra-um que encerrou a demo.

“Foi muito importante para nós ter uma luta assim. Estar num duelo é uma parte icônica de ser um samurai. Nós realmente queríamos capturar isso. Então nosso sistema de combate tem que ir desde um combate um-contra-um com uma oponente formidável como Masako até lidar com uma horda de Mongóis.”
Zimmerman indicou que Jin encontrará novas armas e habilidades ao longo do jogo, mas ele não estava pronto para revelar nada além da katana vista na demo. Ele também confirmou que o jogo terá um HUD ("Head-up display", informações que ficam na tela), mas o time a desligou para a demo. Mas o que quer que seja a versão final do HUD, ele prometeu que será algo mínimo.
Zimmerman disse que o objetivo do time é “levar você a um lugar que você esteve, no nosso caso, um tempo onde você nunca esteve, e deixar você se sentir como se realmente estivesse lá. Que o controle se derreta, que a TV, os auto-falantes e a sala de estar sumam, e você simplesmente esteja lá.”

A E3 2018 encerra hoje as portas e a organização já marcou a data para o evento do próximo ano. Depois de abrir pela primeira vez as ...

A E3 2018 encerra hoje as portas e a organização já marcou a data para o evento do próximo ano.

Depois de abrir pela primeira vez as portas ao público no ano passado, a edição deste ano contou com algumas alterações aos horários depois de críticas em relação à organização (e consequentemente confusão) do ano passado.
Os membros do público entravam mais tarde no recinto, enquanto os membros da imprensa e da indústria podiam entrar mais cedo e circular pelo recinto com mais calma
Este ano o evento chegou ao fim com 69.200 visitantes, dos quais 15.000 foram do público. Cada bilhete custava 250 dólares e todos foram vendidos. Em alternativa, era possível comprar passes VIP por 1000 dólares.
A E3 2018 contou com mais de 200 expositores. Deste número 85 companhias marcaram presença no evento pela primeira vez. No total foram mostrados 3250 produtos.
O evento do próximo ano já tem data marcada: 11, 12 e 13 de Junho.

Em14 de Junho de 2013 a Sony Interactive Entertainment publicava uma das obras mais marcantes do sistema PlayStation 3 e da família de con...

Em14 de Junho de 2013 a Sony Interactive Entertainment publicava uma das obras mais marcantes do sistema PlayStation 3 e da família de consoles PlayStation, The Last of Us.

O jogo é uma produção do estúdio norte-americano Naughty Dog, responsável por outras séries como Uncharted. Na sua conta de Twitter, o estúdio fez questão de assinalar a data, relembrando a continuação com The Last of Us Part II.
"Hoje é o 5º aniversário do lançamento de The Last of Us. Mais de 17 milhões de vós fizeram parte desta aventura conosco e o vosso amor, dedicação e apoio por estes personagens e história tem sido incrível. Queremos continuar com The Last of Us Part II.", lê-se num post da conta Twitter da Naughty Dog.