The Order 1886

The Order 1886 o jogador controla um grupo de cavaleiros conhecidos como The Order - uma força de indivíduos dedicados, fundada à séculos pelo Rei Artur para confrontar criaturas. O jogo decorre em 1886, em que Sir Galahad é um dos mais respeitados cavaleiros da The Order. Sir Galahad e três dos seus mais leais parceiros, irão precisar de toda a ajuda para lutar contra os rebeldes e outras ameaças que espreitam Londres.

The Last Guardian

O jogo se foca no desenvolvimento da amizade entre um garoto e uma criatura gigante semelhante a um grifo chamada "águia do mar" ou "erne" no título em japonês. A criatura possui penas por grande parte do corpo, algumas penas novas bem pontiagudas, e pode-se perceber que possuia asas, as quais possivelmente foram cortadas (A criatura possui lanças e flechas presas às suas costas) e fica inicialmente presa a uma corrente..

Final Fantasy XV

Final Fantasy Versus XIII (Recem Batizado como Final Fantasy XV) é um jogo para Ps4 e Xbox One, o enredo do jogo revolve em torno de um personagem misterioso, que é o último herdeiro de uma dinastia capaz de controlar os cristais.Sendo o RPs mais aguardado da atualidade.

Uncharted 4

Muitos anos depois dos eventos ocorridos em Uncharted 3: Drake's Deception, Nathan Drake (interpretado por Nolan North) que se tinha retirado de ser um caçador de tesouros, é forçado a entrar de novo no mundo dos ladrões. De uma maneira muito mais pessoal, Drake irá embarcar numa aventura a nível mundial em busca de uma conspiração histórica por detrás da fábula de um tesouro pirata. A Naughty Dog refere que o enredo "será a sua maior aventura e que irá testar os seus limites físicos, a sua determinação, e, finalmente, o que ele está disposto a sacrificar para salvar aqueles que ama"

The Witcher 3: Wild Hunt

The Witcher 3: Wild Hunt é o terceiro capítulo da saga de Geralt of Rivia, baseado no livro do famoso escritor polonês Andrzej Sapkowski. O jogo despertou a curiosidade dos jogadores por anunciar 36 finais diferentes e um mapa, no mínimo, 3 vezes maior que o de GTA 5. O game de RPG já foi adiado diversas vezes e agora deve ser lançado no fim de 2014 para Xbox One, PlayStation 4 e PC.

Rise Of The Tomb Raider

Tomb Raider da Square Enix lançado em 2013 foi um reboot de tirar o fôlego de uma franquia de peso, de alguma forma conseguindo fazer Lara Croft e suas aventuras algo realmente animador. Rise of the Tomb Raider é a sequência, e se passa após a viagem de descoberta e sobrevivência do último jogo de Lara. Por enquanto exclusivo Xbox 360 e Xbox One

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Demo de Final Fantasy XV sem Share Play


 A Square Enix enganou seus fãs?
A demo de Final Fantasy XV que estará incluída em Final Fantasy Type-0 HD não terá suporte para Share Play, uma funcionalidade da PS4 que permite partilhar um jogo com outra pessoa.

Sendo assim, a única maneira de experimentar a demo é comprar o jogo ou recorrer ao método antigo e infalível de ir fisicamente à casa de um amigo que tenha acesso à demo.

O Share Play é a única funcionalidade bloqueada. Ainda podem gravar enquanto jogam e partilhar o vídeo online.

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

PS4 Firmware 2.04 possui características ocultas




 Poucos dias atrás, um insider informou que uma nova atualização de firmware para o PlayStation 4 provavelmente será lançado até o final do próximo mês. Essa informação foi revelada pela Tidux um "insider" da indústria que tem um histórico decente. No entanto, parece que ele tem mais informações sobre uma atualização de firmware recente ou seja, 2,04 .

Tidux revelou a atualização de firmware 2.04 escondeu recursos e atualizações para os desenvolvedores, e foi lançado em silêncio pela Sony. Segundo ele, a Sony pensa que não havia nenhuma razão para revelar esses recursos e atualização escondidos ao público como se fosse uma atualização de desempenho destinado para desenvolvedores. Tidux não tem conhecimento sobre cada recurso oculto esta atualização de firmware tem mas ele revelou que estava relacionada a melhorias no SDK do PS4.

E, por último, ele revelou que a Sony tem uma lista completa de todos os recursos que os usuários querem, mas eles também têm algumas características em desenvolvimento que um usuário comum não pode pensar. Como de costume o correto é não levar tão a sério, uma vez que é proveniente de uma fonte da não oficial da indústria.

Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Rise of Tomb Raider: Quanto custou a exclusividade temporária à Microsoft?


Michael Pachter fez as suas estimativas e conta que a Sony diz que o que a Microsoft paga para ter exclusivos temporários é ridículo.

Michael Pachter, o sempre 
polêmico analista, voltou a afiar as garras em novas declarações, e desta vez o alvo foi o acordo de exclusividade temporária da Microsoft para ter Rise of Tomb Raider nas suas consolas.
Em declarações com o Gaming Bolt, Pachter comentou que, "Em 2007-2009 quando Rob Dyer era o responsável pelas relações com as third parties da Sony, ele disse-me que a Microsoft pagava às editoras para ter exclusividades de um mês, e o exemplo mais famoso foram os pacotes de mapas de Call of Duty que saíram sempre um mês antes na Xbox 360."
"E o Rob disse-me que as somas que a Microsoft pagava para ter isso eram ridículas, e que a Sony não era capaz de igualar as suas propostas para poder tê-los no mesmo dia. A Sony tinha que subir a parada para poder tê-las trinta dias antes, e contou-me que isso não compensava," acrescentou.
"Acho que ele estava enganado. Ele já não trabalha lá, mas penso que ele estava enganado e dá-me a sensação de que a Microsoft continua a usar esse truque de pagar para ter exclusivos temporários. Acho que o que quer que tenha pago à Square Enix, tenho a certeza de que a Square fez as contas e viu que isso compensa," explicou.
"Vão vender, provavelmente, umas quantas unidades a menos na PlayStation, e umas a mais na Xbox, mas a quantidade de dinheiro que receberam garantidamente que compensa essas diferenças. E a Microsoft está, provavelmente, a pagar muitos milhões de dólares por isso. Não digo centenas, mas provavelmente deve chegar aos 10 milhões... ou talvez mais."

Escrito por
Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Final Fantasy XV terá cenas brutais e momentos chocantes




 Depois de termos ficado a conhecer que a demo de Final Fantasy XV vai ocupar 5GB, Hajime Tabata, realizador do jogo, ofereceu novos dados sobre o que podemos esperar deste jogo.

Em continuação de uma entrevista com os alemães do JPGames, Tabata referiu que na história do jogo iremos assistir a momentos muito chocantes e a algumas cenas brutais. O realizador de Final Fantasy XV contou também que este jogo é muito importante para ele depois do seu trabalho em Crisis Core: Final Fantasy VII.
Por entre as curiosidades ele comentou que a equipa pensou em incluir um menu para que os jogadores possam ajustar a quantidade de sangue mostrado no ecrã ou num conteúdo descarregável que permita mudar a classificação por idades do jogo, de uma forma semelhante à vista em The Evil Within.
Final Fantasy XV vai chegar à PS4 e Xbox One com uma data de lançamento misteriosa.

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Tabata fala sobre o mundo de Final Fantasy XV: "Vai ser aberto, mas diferente de Skyrim ou DA: Inquisition"





Quando perguntado se ele tinha jogado em algum RPG ocidental e o que ele pensava, Tabata citou Skyrim, Mass Effect e Dragon Age Inquisition, falando sobre o seu mundo aberto.

"O mundo de Final Fantasy será aberto, mas ainda fiel ao espírito da série. Portanto, não podemos ter a amplitude e liberdade de Skyrim, mas seções mais controladas e restritas, para trazer os aspectos estratégicos da série clássica."

"Estamos tentando criar um jogo mais voltado para os fãs da série Final Fantasy do que de Skyrim. Aprendemos com sucessos Ocidentais, como mesmo Red Dead Redemption e GTA V, mas vamos tentar ser originais e não copiar essas produções".

"Se Type-0 começa em uma cidade e, em seguida, vai para a missões nos reinos vizinhos, com Final Fantasy XV queremos dar a impressão de estar dentro de uma viagem, se deslocando de um lugar para outro magnífico."

"Queremos que as pessoas sintam o senso de respeito e admiração que eu experimentei, por exemplo, quando vim a Londres pela primeira vez."

Tabata explicou que Type-0 e Final Fantasy XV são dois projetos muito diferentes, e FF XV foi projetado especificamente para consoles Next Gen.

Por isso foram colocados no mesmo disco, para dar aos jogadores o capítulo que falta da sua série favorita, mas também para mostrar o que podem fazer com um jogo projetado especificamente para o novo hardware.

Fonte: Vg247

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Mortal Kombat X ganha novo trailer estrelado por Kitana e seus leques


 Mortal Kombat X, jogo de luta para PS4, Xbox One, PC, Xbox 360 e PS3, recebeu mais um trailer, desta vez estrelado por Kitana. Ela é uma das lutadores mais clássicas da série – uma princesa guerreira que utiliza leques com lâminas como suas armas principais e possui alguns combos devastadores.

Kitana mostra suas faces em Mortal Kombat X (Foto: Divulgação)Kitana mostra suas faces em Mortal Kombat X (Foto: Divulgação)
Kitana é mostrada no trailer em detalhes. Além disso, os produtores contam um pouco da evolução da personagem, desde os primeiros jogos da saga até os atuais. Inicialmente, seu visual era mais simples, apenas com roupas femininas de ninja, mas hoje está bem mais elaborado.
Kitana Royal em Mortal Kombat X (Foto: Divulgação)Kitana Royal em Mortal Kombat X (Foto: Divulgação)
Ela, assim como outros personagens que retornam, também está um pouco mais velha, já que Mortal Kombat X se passa 25 anos após os fatos do game anterior. Em paralelo, a produtora NetherRealm liberou também algumas imagens de produção da lutadora, incluindo seus três estilos de luta disponíveis no jogo, o Royal Storm, Assassin e Mournful.
Assista ao vídeo abaixo:
Postado por:
Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Demo de Final Fantasy XV ocupa cerca de 5GB


 E usa toda a memória de processamento da Xbox One e PS4.



Quanto espaço vão precisar para a demo de Final Fantasy XV? Hajime Tabata, o diretor do jogo, respondeu a essa questão numa entrevista com o site alemão JPGames.

Segundo Tabata, a demo ocupará cerca de 5GB, acrescentando que "usa toda a memória de processamento da PlayStation 4 e Xbox One". Apesar disto, a demo não vai correr a 1080p como já foi referido, dado que ainda há optimizações a fazer.

A demo de Final Fantasy XV virá incluída em Final Fantasy Type-0 HD, que será lançado na Europa a 20 de março. A demo estará disponível no dia de lançamento.


Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

PlayStation 4 será fabricado finalmente no Brasil




É com muita alegria que trazemos a notícia que o PlayStation 4 será fabricado finalmente no Brasil A informação foi divulgada ontem pela IGN Brasil, através de uma entrevista com Anderson Gracias.

Na entrevista Gracias diz:

Não é só meu sonho, é o sonho de muita gente. Esse dia ainda não existe, mas sonhamos com ele. Esse anúncio, como aconteceu com PS3, vai impactar ainda mais. Quando anunciamos a fabricação local do PS3, o produto estava indo do sexto para o sétimo ano de vida. Esperamos anunciar a fabricação local do PS4 muito antes disso.
Gracias ainda acrescenta que a tão esperada redução de preço do PS4 pode finalmente chegar com a fabricação local do aparelho.

Uma redução significativa no valor do produto final, que ainda é de R$ 3.999. Será um valor muito abaixo disso.
Nenhum preço oficial foi divulgado na entrevista, só nos resta torcer. Sobre o preço ele pede cautela, e manter as expectativas reais:

Não dá para saber [o preço do PS4] até estarmos muito próximos do início da fabricação local. A partir deste ponto, você trabalha com estruturas mais detalhadas de custo. O valor do dólar obviamente interessa porque importamos partes e componentes para montar o videogame no Brasil. Quanto mais alto o valor do dólar, mais caro será para produzir o console por aqui.
Para Gracias a fabricação do console no país é a maneira mais eficiente de conseguir a redução de preço. Assim como a concorrente Microsoft que consegue vender oficialmente o Xbox One por R$ 1999,00, Gracias acredita que a Sony vai conseguir o mesmo.

Para isso, a Sony Brasil precisa cumprir regulamentos legais, e principalmente adequar as plantas fabris para a construção do PS4.

Outro ponto positivo para a fabricação local seria a aceleração da migração dos jogadores brasileiros para a nova/atual geração, deixando de vez para trás o PlayStation 3.

Assim que conseguirmos iniciar uma produção local e com essa redução significativa de preço da geração nova, acho que esta velocidade - talvez não no início - chegue à mesma da vista nos Estados Unidos.Mas ela será muito parecida.
O executivo ainda fala sobre o PlayStation Vita, que sofre do mesmo problema de preço elevado que o PS4. Ele aproveita para dizer que a Sony Brasil está trabalhando ao máximo para aproximar a biblioteca de jogos dos Estados Unidos com a Brasileira na PlayStation Network, inclusive na data dos lançamentos.

Ainda sobre os serviços on-line, Gracias diz que a Sony quer trazer o PlayStation Now - serviço de streaming de jogos - para o Brasil.

Ele termina a entrevista com o que podemos esperar em 2015:

Temos Bloodborne e Until Dawn, além de outros que virão. Teremos ainda um que é muito aguardado, o Uncharted 4, que não tem confirmação da data e não sabemos se sairá em 2015.
Tem data? Não tem data ainda. Vai acontecer este ano? Não dá para saber. Mas está dentro do nosso objetivo. Continua nosso objetivo. Quero no final do ano dar novamente essa entrevista e falar de resultado do PS4 como produto local.

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Street Fighter V terá beta online




A Capcom confirmou hoje que Street Fighter V, exclusivo para PlayStation 4 e PC, terá direito a uma beta online a decorrer num período ainda por revelar.

Após revelar o vídeo e imagens de apresentação de Charlie Nash, a Capcom deixou os fãs em êxtase mas criou ainda mais entusiasmo ao anunciar algo aliciante.

SFV terá direito a uma beta online, na América do Norte e Europa pelo menos, na qual o feedback dos jogadores será recolhido para tornar o jogo final ainda melhor.

De momento sabemos que na América do Norte basta reservar o jogo mas na Europa ainda nada foi adiantado.

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Os videojogos vão continuar a ser a prioridade da Nintendo



Apesar da Nintendo continuar comprometida em inovar o mundo dos videojogos, a companhia de Mario está também à procura de crescer de novas formas.

Satoru Iwata, presidente da Nintendo, mostrou um pouco da sua visão para os próximos dez anos da companhia, como parte de uma sessão de perguntas e respostas com os investidores.

Um dos primeiros esforços de forma de entretenimento que não estão ligados às áreas dos videojogos é a tal misteriosa campanha "Quality of Life", que foi falada pela companhia pela primeira vez no ano passado. Apesar da Nintendo estar a investir nessa área isso não significa que ela estáo a pensar em afastar-se dos jogos.

"Deixem-me garantir-vos que a Nintendo não está a tentar distanciar-se dos videojogos," disse Iwata. "Nunca perderemos a nossa paixão pelos videojogos e iremos continuar a fazê-los."

Dito isto, Iwata explicou que ele não quer que a Nintendo seja considerada uma companhia que apenas cria videojogos.

"Por outro lado, se as pessoas dentro da companhia pensassem que a Nintendo é uma companhia que não pode fazer mais nada do que videojogos, e acreditassem que os comandos dos videojogos continuassem de uma certa forma porque essa é a forma que tem sido adoptada durante os últimos 30 anos, e que os videojogos devessem ser criados de uma certa forma ou que devessem começar sempre com um tutorial, terminarem de uma forma particular e terem que ter muitos elementos árduos pelo meio, um enorme muro mental iria ficar à nossa frente quando tentássemos criar um novo género para um videojogo com o qual muitas pessoas se surpreendem ou quando tentámos criar uma interface de utilizador sem precedentes que surpreende as pessoas de forma agradável," disse ele.

Iwata continuou para dizer que estar ligado a esta forma de pensar poderia ser prejudicial para o sucesso da Nintendo a longo prazo. Como tal a sua nova e mais aberta definição de entretenimento é "a de coisas que poderão melhorar a qualidade de vida das pessoas de forma agradável."

Internamente a Nintendo encorajou os seus produtores a tomarem o desafio de criar novas formas de entretenimento. Alguns funcionários já avançaram com algumas propostas, no entanto Iwata preferiu não comentar sobre isso porque ainda estão numa fase prematura de desenvolvimento.

"Tal como esperava, as pessoas começaram a fazer várias propostas," disse ele. "Não posso elaborar sobre nada novo hoje uma vez que essas propostas ainda têm de tomar uma forma mais concreta, mas pessoas dentro da companhia começaram a fazer propostas quando me perguntavam se elas estão em sintonia com a visão da companhia. Isto é algo que a Nintendo tem de continuar a fazer a longo prazo."

"A nossa estratégia para os próximos dez anos é modificar a definição de entretenimento e expandir as áreas em que a Nintendo possa fazer negócio," disse ele.

Também durante a apresentação, Iwata explicou porque é que a Nintendo escolheu a área da saúde como uma das primeiras novas categorias de entretenimento que querem perseguir. Pensem desta forma, muitas pessoas estão interessadas em melhorar a sua saúde, e a Nintendo pensa que tem ideias inovadoras de forma a ajudar as pessoas a sentirem-se bem."

"Apesar de no geral as pessoas saberem o que devem fazer para melhor a sua saúde, é difícil para muitos de nós continuar essas boas práticas," disse ele. "Tal como expressão japonesa, 'A maioria das pessoas tende a desistir após três dias'. Muitos de nós estão preocupados por não sermos capazes de continuar algo que reconheça a importância da nossa saúde."

Os videojogos podem oferecer uma solução para os problemas de saúde que envolvem a motivação e o feedback, disse Iwata. Ele não revelou quaisquer detalhes de como os produtos de saúde se vão parecer, mas contou que a Nintendo está bem preparada para aceitar o desafio. Iwata sugeriu que a Nintendo está aberta em estabelecer parcerias com as companhias third-party para jogos focados na saúde."

"Dentro da Nintedo, as pessoas têm o saber fazer que poderá contribuir para a sociedade," disse ele. "Esse saber fazer e domínio, poderá no entanto, não significar nada enquanto tiverem a mentalidade de que isso não faz parte do seu trabalho. Por outro lado se as pessoas reconhecerem que existe algo que podem fazer, o output da Nintendo mudará dramaticamente. Ao mesmo tempo se uma companhia externa tiver novas ideias mas não souberem como usá-las, a Nintendo poderá ser a companhia certa para elas."

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Nos anos 90 a SEGA recusou uma parceria com a Sony para criar uma novo console


 Numa interessante entrevista com o GamesIndustry, Tom Kalinske, antigo presidente da SEGA America, falou sobre a situação atual da companhia do ouriço azul, que deixou de se dedicar ao fabrico de consolas há uns bons anos, depois da Dreamcast, e que recentemente reduziu o seu sector na área dos videojogos em geral.
Para Kalinske tudo podia ter sido diferente.
"Não era inevitável. Podia ter sido evitado se eles tivessem tomado as decisões certas há 20 anos. Mas parece que fizeram as escolhas erradas durante 20 anos," disse ele.
Na verdade, a SEGA America tinha um plano para trabalhar com Mickey Schulhof e Olaf Olafsson da Sony, para desenvolver uma nova consola. O objectivo seria usar a experiência que a SEGA tinha na criação de software com o talento da Sony no campo do hardware. Uma boa forma de partilhar a tomada de riscos e custos de desenvolvimento, mas os dirigentes da SEGA Japan acharam que isso não seria uma boa ideia.
"Fomos até à Sony e eles concordaram, 'Grande ideia!' Quer chamássemos de SEGA-Sony ou Sony-SEGA, que importa?" disse ele.
"Fomos até à SEGA e os líderes descartaram completamente a ideia, o que eu penso que foi a decisão mais estúpida de sempre feita na história da companhia. E a partir desse momento, fiquei com a sensação de que eles já não eram capazes de tomar as decisões correctas."
Kalinske falou também sobre a sua antiga rival Nintendo, e sobre os analistas que dizem que a companhia devia deixar de fazer consolas e apostar em levar as suas propriedades intelectuais para novas plataformas como os dispositivos móveis.
"Eu não acho que a Nintendo deva desistir de criar hardware ou consolas. Estou surpreendido que eles não tenham criado uma divisão para estender a sua marca. Adoraria jogar alguns dos seus jogos no meu iPhone ou iPad. Na verdade até seria uma forma de marketing para eles. Eles nem precisavam de fazer muito dinheiro com isso, mas seria uma forma de manterem as suas marcas relevantes para os utilizadores, incluindo para as pessoas que são mais velhas, como eu. Por isso parece-me que se trata de um erro de marketing, mas não acho que devam desistir daquilo que estão a fazer porque eles são muito bons naquilo que fazem."

Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Crystal Dynamics fala sobre a exclusividade de Rise of the Tomb Raider na Xbox


 Tudo começou com os DLCs exclusivos de Tomb Raider Underworld.



Darrell Gallagher, presidente da Crystal Dynamics, explicou numa nova entrevista com a Game Informer como Rise of the Tomb Raider se tornou num exclusivo para as consolas Xbox One, um anúncio que chocou todos os que estavam a assistir à E3 de 2014.

A relação entre as duas partes começou em 2008, com o lançamento de alguns DLCs exclusivos de Tomb Raider Underworld para a Xbox 360. O relacionamento continuou a dar frutos com Lara Croft and The Guardian of Light, que foi lançado em primeiro para a Xbox 360 como parte do alinhamento Summer of Arcade. E agora eis que temos a exclusividade de Rise of the Tomb Raider, que "é a evolução natural de onde começamos", referiu Gallagher.

Para a Crystal Dynamics e Square Enix, a parceria com a Microsoft será vantajosa, já que esta ficou responsável pelo marketing, que para ser eficaz é bastante dispendioso, e pela distribuição.

Na entrevista foi mais uma vez referido que a possibilidade de Rise of the Tomb Raider ser lançado para outras plataformas é real, mas por enquanto a concentração está nas versões Xbox One e Xbox 360.

Também foi mencionado que Tomb Raider de 2013 vendeu até hoje 7.5 milhões de unidades.

Escrito por


Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Resident Evil Revelations 2: confira nossas primeiras impressões do game


 Resident Evil Revelations 2 finalmente teve seu primeiro episódio lançado para PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One e PC. O capítulo chamado de Penal Colony traz em sua primeira metade um gameplay com Claire e Moira e em sua segunda com Barry e Natalia. Curioso para saber como o segundo jogo da série Revelations está? Confira agora nossas primeiras impressões.

Resident Evil: Revelations 2 (Foto: Reprodução)Resident Evil: Revelations 2 liberou seu primeiro capítulo, chamado Penal Colony (Foto: Reprodução)
O início não foi lá dos mais animadores. Apesar de interessantes, as cutscenes iniciais não apresentaram grandes resoluções e pareceram um pouco lentas. Testamos a versão de Xbox One e sensação era de estarmos num Xbox 360 ainda.

Assim que assumimos o controle de Claire Redfield e Moira Burton na prisão, a história muda um pouco. Os gráficos in game estão bem bonitos, os cenários são bem feitos e atmosfera é tensa. O lema de Revelations 2 durante seus trailers de divulgação era a frase "Evil is watching", algo como "o mal observa".

Logo no início podemos sentir na pele isso com câmeras de vigilância em perfeito estado numa prisão abandonada e velha. Além das falas de uma voz misteriosa que abre e fecha portas e provoca Claire e Moira.
Alguma figura misteriosa estará observando sua jornada em Resident Evil: Revelations 2 (Foto: 4Gamer) (Foto: Alguma figura misteriosa estará observando sua jornada em Resident Evil: Revelations 2 (Foto: 4Gamer))Claire e Moira são observados por alguém misterioso em Resident Evil: Revelations 2 (Foto: 4Gamer)
Os comandos seguem a linha de Resident Evil Revelations 1, porém com aperfeiçoamentos. Claire corre muito mais rápido que Jill, por exemplo. O quickturn (ato de dar meia-volta) está mais intuitivo e a esquiva é muito mais eficaz. A mira foi bastante melhorada e não causa certo incômodo como no primeiro Revelations. 
Os inimigos básicos, chamados de Afflicted, são mais fracos do que os Oozes de Revelations 1, porém são mais difíceis de serem atingidos. Não que eles sejam mestres da esquiva, longe disso. Os movimentos são previsíveis e padronizados, mas há certa velocidade neles, diferentemente da grande lentidão dos Oozes.
Resident-evil-rev3 (Foto: Divulgação)Oozes de Revelations 1 eram mais fortes, porém mais lentos que os Afflicted de Revelations 2 (Foto: Reproduçào)
O jogo segue a linha do seu antecessor no fato dos inimigos mortos não deixarem itens, o que remete ao início da franquia. Quem jogou mais os Residents 4, 5 e 6, pode ter dificuldade, porque matar todos os inimigos de uma área não vai garantir nenhuma reposição de munição e ervas.
Aliás, munição e ervas estão um pouco mais escassos do que em Revelations 1. Moira e Natalia quase "compensam" o escaneador Genesis ao achar itens escondidos no cenário, porém o aparelho do primeiro Revelations dava sempre uma erva verde quando seu scanner atingia 100%.
A sobra ou a falta de munição vai depender mais da habilidade do jogador. Um Afflicted pode morrer com um ou dois tiros bem dados na cabeça ou com 5 ou 6 mal dados pelo resto do corpo. Se for atirar, atire bem, pois o jogo pune desperdícios de munição.
Resident Evil Revelations 2 (Foto: Reprodução)Lanterna de Moira pode ajudar a economizar bastante munição(Foto: Reprodução)
Com as meninas, é interessante alternar entre as personagens. Utilizar Moira para cegar inimigos com sua lanterna e voltar para o comando de Claire para dar um chute num inimigo ou um headshot, pode economizar bastante munição e item de cura. Esse combo é mais eficaz num co-op offilne.
Já com Barry e Natalia é diferente. Aqui, a menininha ajuda em localizar inimigos através de paredes, mas na hora da ação não ouse tirar o controle do ex-STARS, ou você estará em problemas. Apesar que vez ou outra um tijolinho arremessado por Natalia ajuda a encontrar um inimigo que passou despercebido. Para equilibrar, o pai de Moira vem bem equipado com uma boa pistola, um rifle de assalto e sua inseparável Magnum.
Após boa parte "boring", a parte de Claire/Moira fica interessante em seu final. Ao ativar as armadilhas da prisão, vários inimigos são liberados ao mesmo tempo numa curta área. Mesmo que você tenha salvado munição, dificilmente dará cabo de todos. E nem há necessidade, basta usar as próprias armadilhas. Apesar do cenário sombrio e de alguns sustos, a prisão fica devendo em relação ao Queen Zenobia de Revelations 1.
Prisão abandonada deverá ser um dos cenários de Resident Evil: Revelations 2 (Foto: Gematsu) (Foto: Prisão abandonada deverá ser um dos cenários de Resident Evil: Revelations 2 (Foto: Gematsu))Apesar de obscura e tenebrosa, a prisão de Revelations 2 é menos surpreendente e imprevisível do que o Queen Zenobia de Revelations 1 (Foto: Gematsu)
Com o final mais interessante de Claire/Moira, entramos na parte de Barry Burton com um belo efeito de câmera que dá uma sequência bem real e suave na troca. Não há um menu ou uma pausa marcante para trocar os cenários. Esperamos que essa ideia tenha sido usada também para os episódios seguintes, pois ficou bem legal.
Logo ao chegar na ilha da prisão ao ouvir um chamado de socorro de sua filha, Barry encontra uma garotinha chamada Natalia Korda e segue com ela em direção a torre de rádio. Para chegar lá, a dupla passa pela prisão onde estavam Claire e Moira e encontram as alterações feitas pelas meninas, como as celas abertas e as armadilhas ativadas.
A quantidade de inimigos é pequena na prisão, já que Claire e Moira já haviam feito a limpa por ali. Alguns baús usados pela primeira dupla, ainda estarão abertos durante a passagem da segunda equipe. 
O verdadeiro cenário de Barry começa logo ao sair da Penal Colony. Sob céu aberto, o veterano tem que encarar uma maior quantidade de monstros que são bem mais fortes e tenebrosos do que os enfrentados por Claire. Há mais ação, mas nada comparado nem a RE 4 (o menos Call of Duty dos Residents modernos).
Revenants são aberrações criadas ao reunir várias partes de corpos (Foto: VG247) (Foto: Revenants são aberrações criadas ao reunir várias partes de corpos (Foto: VG247))Revenants são aberrações criadas ao reunir várias partes de corpos (Foto: VG247)
Ponto positivo para a floresta escura que deixa o jogador meio perdido e vulnerável ao ataque dos Revenants. O cenário de Barry e Natalia lembra Joel e Ellie em The Last of Us. Apesar disso, a Capcom manteve a identidade de Resident Evil, pelo menos não por enquanto. Os efeitos e trilhas sonoras do jogo estão excelentes, como de costume na franquia.
Se até agora o jogo era bom, mas não tirava água da boca, o final do capítulo resolveu a questão. Ao chegar no seu destino, Barry descobre uma grande revelação que deixa personagens e o próprio jogador intrigados. Uma sequência de imagens, cenas e falas picotadas do próximo episódio, entra como se fosse uma série de TV. Os flashes do próximo capítulo deixa uma ansiedade no ar para o lançamento de Contemplation.

Penal Colony teve um início devagar, mas seu final foi bem animador. Com uma boa primeira impressão, Resident Evil Revelations 2 cumpriu, pelo menos por enquanto, as expectativas criadas em torno de si. Para saber se o jogo vai manter essa boa impressão, fique ligado no TechTudo para conferir as análises de Contemplation, Judgement e Metamorphosis, além de review, detonado e tutoriais.

Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Dragon Ball Xenoverse e Resident Evil 2: veja os lançamentos da semana


 Dragon Ball Xenoverse e o primeiro episódio de Resident Evil Revelations 2 chegam nesta semana. Além disso, lançamentos para PC, PS3, PS Vita, Xbox One e outros consoles também são destaques. Confira e programe-se:

Novos Dragon Ball e Resident Evil chegam às prateleiras (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)Novos Dragon Ball e Resident Evil chegam às prateleiras nesta semana. (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)
Dragon Ball Xenoverse – PS3, PS4, Xbox One, Xbox 360, PC – 24 de fevereiro – US$ 60
Dragon Ball Xenoverse é o novo capítulo na saga Dragon Ball. Viagem no tempo, lutas e outras aventuras são algumas das novidades que estão por vir. Nessa nova edição, o jogador cria um personagem do zero com a missão de lidar com ameaças que podem modificar o universo de Goku e outros heróis.
Dragon Ball Xenoverse (Foto: Divulgação)Dragon Ball Xenoverse é o novo capítulo da saga Dragon Ball. (Foto: Divulgação)
Além de batalhas um contra um, o título permitirá ainda embates épicos em grupos de personagens e contra os principais inimigos da saga, como Cell, Majin Boo e Freeza. O game promete ser o mais completo da série.
Dynasty Warriors 8 Empires – PS3, PS4, Xbox One – 24 de fevereiro – US$ 50
Dynasty Warriors 8 Empires é o novo capítulo da série de combates em tempo real da Tecmo Koei. O título chegará ao PS3 e também à nova geração de consoles. Ele se inspira bastante no jogo anterior, mas com algumas novidades pontuais.
Dynasty Warriors 8 Empires (Foto: Divulgação)Dynasty Warriors 8 Empires chegará ao PS3. (Foto: Divulgação)
Entre as novidades, há uma “pegada” na simulação de campo de batalha. No comando de grandes exércitos, o jogador deve traçar sua estratégia nas mais diversas possibilidades, incluindo chuvas e tempestades.
Under Night In-Birth Exe:Late – PS3 – 24 de fevereiro – US$ 40
Under Night In-Birth Exe:Late é um jogo que recebeu elementos das animações japonesas. Produzido pela Nippin Ichi Software (NIS), o título traz ainda características clássicas das séries dessa empresa, como personagens exagerados e poderosos.
Under Night In-Birth Exe:Late (Foto: Divulgação)Under Night In-Birth Exe:Late traz ainda características clássicas da NIS (Foto: Divulgação)
O game segue o estilo de luta, mas tem elementos de visual novel ou simuladores de relacionamento, em que é importante cultivar relacionamentos com os personagens, além de seguir a história com base na leitura extensa.
Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart – PS Vita – 24 de fevereiro – US$ 40
Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart é um spin-off da série Neptunia, uma saga de RPGs que fez sucesso nos consoles da Sony, mas que agora ganha uma versão somente no PS Vita, com uma saga inédita.
Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart (Foto: Divulgação) (Foto: Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart (Foto: Divulgação))Hyperdevotion Noire: Goddess Black Heart é um spin-off da série Neptunia. (Foto: Divulgação)
A diferença desta versão é que o visual é ainda mais infantil, com personagens “cabeçudos” e gráficos mais simples. Contudo, os elementos de RPG ainda estão presentes, como combates em turno e outras funções em comum.
Resident Evil: Revelations 2 Episode 1 – PS4, PS3, Xbox 360, Xbox One – 24 de fevereiro – US$ 6
Resident Evil: Revelations 2 continuará a saga de horror da Capcom nos consoles e PC. O game será lançado em capítulos semanais: um no fim de fevereiro e outro no início de março. Ele marca o retorno de personagens famosos, como Claire Redfield e Barry Burton.
Resident Evil: Revelations 2 (Foto: Divulgação)Resident Evil: Revelations 2 marca o retorno de personagens famosos, como Claire Redfield e Barry Burton.(Foto: Divulgação)
O primeiro capítulo é focado em Claire e sua nova parceira, Moira. As duas devem investigar uma misteriosa ilha, onde possivelmente uma nova infecção de vírus ocorrerá, gerando novas armas biológicas. A jogabilidade lembra os capítulos Resident Evil 5 e 6, além do primeiro Revelations, mas com foco no terror.

Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Microsoft vai ter uma abordagem diferente na E3 deste ano


 O tempo voa e já estamos mais uma vez a poucos meses da próxima E3. Como seria de esperar a Microsoft vai levar este evento muito a sério e promete algumas surpresas.

Numa recente entrevista com o The Inner Circle Podcast, Aaron Greenberg, responsável pelos jogos da companhia, falou sobre o que os fãs podem esperar da Microsoft na E3 deste ano.
"Nós adoramos a E3, é uma altura fantástica para nós nos envolvermos com os nossos fãs e guardámos muitas grandes notícias para a E3, e penso que os nossos fãs querem isso e por isso nós debatemos sempre aquilo que podemos relvear antes da E3, porque nós queremos criar aquele momento especial é como um jogo do Super Bowl," disse Greenberg.
"Podem esperar muitas surpresas, iremos falar muito sobre jogos e se vocês são donos de uma Xbox penso que irão ficar muito, muito, muito contentes com o investimento que fizeram e se estão indecisos esperamos que olhem para aquilo que temos para oferecer em termos de jogos e queiram comprar uma Xbox."
Greenberg explicou também que para o evento deste ano a Microsoft está a trabalhar numa abordagem diferente.
"Já estamos a trabalhar e as minhas equipas estão a trabalhar em parceria com as nossas outras equipas internas e sentimo-nos muito bem sobre aquilo que vamos ter para este ano. Temos algumas ideias para algumas coisas diferentes para a E3 deste ano que ainda não tinham sido feitas por isso estamos prontos para mostrar isso, mas penso que iremos ter uma abordagem um pouco diferente para esta E3 e estou muito entusiasmado sobre isso."
Ficamos então ansiosamente à espera pela E3 deste ano que terá lugar entre os dias 16 a 18 de junho.

Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Hajime Tabata Type-0 Final Fantasy XV: "Vamos mostrar do que é feito um RPG japonês"


 Exclusivamente, tivemos a oportunidade de falar com Hajime Tabata , agora no controle dos projetos Final Fantasy Type-0 HD e Final Fantasy XV . Sorrindo, o homem parece não sentir a pressão agora exercida sobre os ombros, seus projetos atualmente são os mais esperados da Square Enix . Com malícia e convicção, ele descobriu se mostrou confiante e está seguindo em frente, e ele está ansioso para transformar estes jogos em uma série lendária. Aqui vai uma entrevista exclusiva sobre Final Fantasy Type-0 do PS4 em reunião com o novo líder do RPG japonês.



1) No Japão, Type-0 foi lançado no final de 2011 para o PSP. Os Gamers ocidentais têm esperado muito tempo. Você se lembra quando a decisão da reedição HD foi decidida?

R. Hmmm, espere, eu tento me lembrar o momento exato. Eu acho que estava no verão de 2013. Nós tínhamos terminado a apresentação de Final Fantasy XV na E3, queríamos entregar ele para os consoles next-gen Precisávamos entender melhor o PS4 / Xbox One, em seguida, deve-se dizer que a demanda dos fãs foi muito importante...

2) Exatamente por isso que ele decidiu se mudar para o PS4 / Xbox One, não no PS Vita? 

R. Você sabe, nós realmente queríamos ver o que aconteceria em uma tela grande. Esta é uma questão técnica, e também permitiu dar aos fãs o que eles queriam, e ampliação da experiência.

3) De maneira pessoal, foi também a sua escolha? 

Eu admito que eu realmente queria construir sobre estas novas máquinas e é certo que isso teve grande influência na decisão. Eu lembro que eu estava assistindo o blog de um membro Square Enix que incluiu os 2.014 expectativas dos nossos fãs ... e Type-0 foi o top! Ele teve que fazer escolhas para sair rapidamente, embora o golpe ainda perdeu 2014. Sobre este ponto, sentimos muito (risos).

4) Como apreendemos como remasterização? Deve ser tentado a começar de novo, o que é limitado é que de repente necessário?

R. Percebemos que nunca havíamos deixado o jogo fora do Japão, assim e que a história tinha que ser respeitada. Em segundo lugar, porque você vai passar a maior parte do tempo com os heróis, começamos ajustes, e colocá-los nas cinematics. Este foi o nosso ponto de partida. Em seguida, as batalhas contra chefes foram levados um a um, com um trabalho mais específico da iluminação. Após, cena por cena, temos refinado os elementos que pareciam pior em uma tela grande.

5)  Ouvi dizer que você tinha usado elementos de seu novo motor, Luminous Studio ...

R. No PSP, foi utilizado o motor que nos usamos em Crisis Core. Subsequentemente, tem havido muitas experiências. Com Ebony Motor usado para Final Fantasy XV no início, em seguida, outras ferramentas. O importante não é tanto as ferramentas, mas o efeito global.

6) Para retornar para a história, a própria morte como tema principal. Este é um FF muito mais sombrio. Este é a direção que a série esta caminhando ... está origem partiu de você ?

R. Você sabe, eu não posso dizer que sou o homem que vai revolucionar a série. Mas nós tentamos fazer coisas que nunca tinha sido feitas antes.

7) Isso deve colocar alguma pressão?

R. (Sorriso) Para ser honesto, eu realmente não sinto isso. Na verdade, eu particularmente me pergunto se os fãs vão gostar ou não. Mas, no caso de Type-0, que eu tinha certeza de que a aparência madura era agradável.

 Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.

Final Fantasy XV já está com 60% do seu desenvolvimento


 A Square Enix anunciou que Final Fantasy XV neste momento está a 60% do seu desenvolvimento, o que indica que apesar de estar já num estado avançado ainda há muita coisa por fazer.

A companhia nipónica revelou também que quando apresentaram o título durante o Tokyo Game Show (TGS) do ano passado, o jogo estava a 55% do seu desenvolvimento, ou seja, desde setembro do ano passado agora só avançaram 5%.
Hoje a companhia também confirmou que a tão esperada demo do jogo não vai correr a 1080p/30 fps, no entanto esse será o objectivo da equipa para a versão final.
Final Fantasy XV vai ser lançado na PS4 e Xbox One, infelizmente a Square Enix ainda não anunciou uma data de lançamento. Caso tenham muita vontade de jogá-lo poderão fazê-lo adquirindo a demo, mas para isso terão de comprar Final Fantasy Type-0 HD que será lançado no próximo mês de março.

Escrito por

Alexandre Vieira
Apaixonado pelo mundo dos videojogos e principalmente Jrpgs e fã da serie Final Fantasy.