News

Rumor: Marvel vs Capcom: Infinite teve um orçamento reduzido e desenvolvimento conturbado

Marvel vs Capcom: Infinite surpreendeu os adeptos dos fighting games pela negativa, apresentando-se como um lançamento inferior ao anterior...

Marvel vs Capcom: Infinite surpreendeu os adeptos dos fighting games pela negativa, apresentando-se como um lançamento inferior ao anterior em diversos aspectos, sofrendo algumas controvérsias antes do lançamento.
Segundo Liam Robertson, investigador e escritor responsável pelo Unseen64, dedicado à descoberta de videojogos que não se materializaram ou foram mesmo cancelados, diz ter recebido informações de membros da equipa de desenvolvimento do mais recente jogo da Capcom. As informações que recebeu, que permanecem rumores pois não são oficiais, pintam uma imagem perturbadora sobre Marvel vs Capcom: Infinite.
Robertson diz ter falado com vários funcionários da Capcom que anteriormente forneceram de forma antecipada informações válidas sobre o jogo, como a chegada de Monster Hunter, o que lhe deu coragem suficiente para avançar com estas revelações.
Uma das maiores preocupações em relação ao desenvolvimento foi o seu orçamento. As fontes indicaram a Robertson que foi pouco mais do que metade do orçamento que a Capcom colocou para os conteúdos adicionais de Street Fighter V. Não o orçamento do jogo em si, mas sim dos seus DLCs.
Como consequência, a equipa foi forçada a recorrer a Marvel vs Capcom 3 para reutilizar modelos de personagens para cortar nos custos. A Capcom recorreu a assets existentes de outros jogos para apresentar os seus personagens em Marvel vs Capcom: Infinite e nestes personagens reciclados, apenas foram aplicados pequenos ajustes.
 Publicidade 










Liam Robertson diz ter sido informado pelas suas fontes que o orçamento baixíssimo desmotivou a equipa de desenvolvimento e esta reutilização de bens, que não produziu resultados satisfatórios, apenas foi questionada pela Capcom quando os fãs gozaram com as faces dos personagens, como Chun-Li.

Isto fez com que a companhia Japonesa pedisse melhorias nos personagens que estavam a ser criticados, sendo a explicação para termos algumas melhorias no jogo final.



Robertson vai mais longe e diz que a gestão controversa deste projeto também se aplicou à abordagem aos conteúdos adicionais: personagens como Black Panther e Monster Hunter estão prontos há meses, mas foram cortados do jogo final para serem vendidos como DLCs pagos.
Isto é algo que desde logo despertou a curiosidade dos jogadores pois Black Panther e Monster Hunter surgem durante o modo Story de Marvel vs Capcom: Infinite, sugerindo que estavam prontos para o lançamento, como Robertson diz ter sido informado pelas suas fontes.
As palavras de Robertson parecem ter confirmado os piores receios dos jogadores, que sentem ter esperado por um jogo que não está à altura da série e infelizmente decepciona de várias formas.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...