News

Porque é que a Microsoft está a criar o Project Scorpio

Com a revelação da tecnologia na Project Scorpio, sabemos agora o que está dentro do novo Xbox. Mas porque é que a Microsoft a decidiu cons...

Com a revelação da tecnologia na Project Scorpio, sabemos agora o que está dentro do novo Xbox. Mas porque é que a Microsoft a decidiu construir sequer?
A Project Scorpio representa um novo início para o Xbox e as ambições da Microsoft para as consoles após o falhanço relativo do Xbox One. Isso é óbvio. Existe um óbvio benefício comercial ao lançar um novo e ultra poderoso console para ajudar a reiniciar o Xbox. Mas há mais além disso.
Mike Ybarra, vice president corporativo das plataformas de videojogos Xbox e Windows na Microsoft, discutiu este tópico com Richard Leadbetter do Digital Foundry quando ele viajou até Redmond para descobrir a tecnologia da Scorpio. Segundo Ybarra, a Microsoft foi motivada em parte pelo desejo de "recuperar os estúdios" após o lançamento do PS4 e Xbox One em 2013. Isto após o reverso nas relações entre estúdios desfrutava durante a era PS3 e Xbox 360.
"A equipe olhou para os estúdios e as relações que temos com eles," disse Ybarra. "Com o Xbox 360 tínhamos a melhor plataforma para os estúdios, com a Xbox One perdemos isso num espaço de dois anos, por isso dissemos 'como podemos conquistar a mente desses estúdios de volta?'
"Queremos os melhores jogos a correr na nossa caixa e existem ferramentas, devkits e coisas como essas para reconquistar os estúdios. Essa foi uma grande prioridade para nós ao abordar este produto."
 Publicidade 










Os comentários de Ybarra relembram a estratégia da Sony para a PS4. Após um post-mortem da PS3, que muitos estúdios multi-plataformas consideraram complicada de trabalhar comparada com a Xbox 360, a Sony decidiu focar-se em entregar uma consola de altas especificações para a qual fosse fácil desenvolver.
"Penso nele como uma arquitetura PC super carregada, pois foi alterada de várias formas para se tornar melhor para os jogos," disse Mark Cerny, arquiteto principal do PS4, numa entrevista com o Digital Foundry em 2013.
"Unificamos a memória que certamente torna mais fácil criar um jogo - foi a principal funcionalidade pedida pelas companhias de jogos."
A PS4 acabou por ser mais poderoso do que o Xbox One, agradando aos programadores preocupados com a performance de jogos multi-plataforma no processo. É esta tendência que a Microsoft espera inverter com a Scorpio, que promete bater o PS4 Pro quando chegar no final de 2017.
"Temos de conquistar o coração e mente dos estúdios," disse Ybarra. "Temos de ter as ferramentas corretas que lhes permita trazer os seus jogos para toda a família de produtos e que os deixe criar as melhores versões dos seus jogos."










Existe mais quanto ao porquê da Scorpio além disso. A Scorpio, tal como o PS4 Pro, é um refrescamento a meio da geração - algo que não é habitual nas fabricantes de consoles. Ybarra disse que a Microsoft reparou no modelo de negócio mobile, onde novos dispositivos são lançados todos os anos.
"Penso que externamente, quando olhas para a indústria...os consumidores, mudaram muito," disse Ybarra.
"Quando pensas nos telemóveis, por exemplo, os consumidores compram telemóveis com uma frequência nunca antes vista. A sua expectativa da tecnologia é que não precisam mais esperar por ela, está de imediato ali à sua frente e esperam que todos os conteúdos fluam por todos esses aparelhos.
"Por isso, quando vês as pessoas a comprar telemóveis, descarregam as suas aplicações e continuam e funciona sem problemas. É o mesmo com as TVs 4K. As TVs 4K foram um dos itens mais procurados no Natal do ano passado. As pessoas esperam por esta nova tecnologia mais rápido do vi anteriormente e quando pensas no negócio das consolas, está em conflito com isso, porque sai uma consola e nos próximos cinco a sete anos, permaneces com essa caixa. E sim, os jogos estão a ficar um pouco melhores porque os programadores ficam mais rápidos e optimizam-nos e as coisas começam a ficar melhores, mas continuas preso aquela caixa."
Ybarra disse que há cerca de quatro anos atrás, Albert Penello, que lidera o marketing para as consolas Xbox, sentou-se com a equipa da Microsoft e os pôs a pensar sobre como mudar o ciclo tradicional dos consoles.
"Quando vemos os consumidores dizer-nos que querem 'a tecnologia mais recente, a experiência mais recente, a melhor experiência com maior frequência' para o nosso negócio tradicional de consolas que não se alinha com isso, tens de parar, tens de correr alguns riscos sérios," disse Ybarra.
"O que significa introduzir uma consola dentro da geração que fornece uma diferença suficiente para os consumidores a apreciarem e desejarem esse dispositivo?
"É a grande coisa que estamos a fazer. Estamos a correr esse grande risco de lançar algo que sabemos que os consumidores querem. E adotar esse modelo de negócio, é aí que está o risco - está no modelo de negócio de dizer que vamos mudar as coisas e dar aos consumidores o que querem, mais cedo."










Apesar do Digital Foundry ter revelado a tecnologia no nova Xbox, ainda não sabemos o nome final do console, nem sabemos quanto a Microsoft vai pedir por ele. Mas uma coisa parece clara: a Project Scorpio será mais caro do que o PS4 Pro .
Ybarra disse a Leadbetter que a Project Scorpio é desenhado para "aquele consumidor premium, o jogador que esperar a versão absoluta dos jogos" - por isso conta com um preço de acordo com isso.

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...