News

Supostas especificações do Xbox Series S vazam e podem decepcionar usuários

  O jornalista do site The Verge, Tom Warren, vem publicando diversos rumores sobre o   Xbox Series X   — com boa taxa de acerto — há algum ...

 O jornalista do site The Verge, Tom Warren, vem publicando diversos rumores sobre o Xbox Series X — com boa taxa de acerto — há algum tempo, dando indícios de que ele pode ter uma fonte interna lhe vazando alguns segredos da nova geração de consoles da Microsoft.

Recentemente, ele apareceu no Twitter com mais uma informação um tanto quanto enigmática:

“CU” pode ser uma referência a “Compute Units”, a capacidade de processamento visual de uma GPU. Neste caso em específico, o jornalista provavelmente está se referendio à capacidade gráfica do até agora especulado Xbox Series S, a versão mais enxuta e 100% digital do Xbox Series X que, segundo rumores, deve ser formalmente anunciada até agosto de 2020.

  • Partindo dessa premissa, o Tom’s Guide extrapolou o que pode vir a ser o conjunto de hardware do Xbox Series S e, spoiler, não é dos mais avançados: “olhando de forma mais aprofundada à especificação das 20 CUs, podemos estimar que o Xbox Series S pode usar a arquitetura gráfica RDNA da AMD. (...) Essas 20 CUs podem se traduzir para 1.280 núcleos de shader para a GPU do Series S”, diz um trecho da matéria no site.

Diante dessa especulação, o Tom’s Guide “chuta” que a placa de vídeo do novo console seria uma AMD Radeon RX 5500XT, que traz 22 CUs, um modelo que o site diz ser bastante eficiente, mas nem de perto algo considerado “de nova geração”.


O que isso significa?

Basicamente, uma placa de vídeo com menos núcleos do que a usada no Series X (que tem capacidade de 52 CUs) dificilmente conseguiria reproduzir um jogo da nova geração com a mesma qualidade gráfica. Em suma, um jogo que rode “liso” no Xbox Series X pode sofrer quedas de taxas de quadro na versão mais simples ou mesmo funcionar especificamente em resoluções inferiores do que os 4K nativos prometidos pelo seu irmão maior.

O outro lado da moeda

Não necessariamente “menos CUs = menos performance visual”. O Tom’s Guide argumenta que, embora tenha mais núcleos, a arquitetura usada no Xbox Series X é de uma geração mais antiga, então é bem possível que o Xbox Series S possa até trazer uma GPU menos capacitada, mas a gestão de processamento visual seja mais otimizada, o que em teoria colocaria os dois consoles em posição de relativa igualdade. Especialmente considerando que o Xbox Series X, em testes, conseguiu rodar Red Dead Redemption 2 em 4K, mas a apenas 30 quadros por segundo — e esse é um título de geração atual, não nova.

Estrategicamente falando, até que faz um certo sentido equiparar o console menor e o maior dentro da gestão de núcleos em suas capacidades gráficas. Colocar a versão otimizada no Series X poderia, no final, encarecer o produto, enquanto um hardware mais enxuto no Series S, mas com gráficos em medida similar, poderia manter o preço do console digital reduzido sem sacrificar — ou sacrificar menos — a qualidade.

Naturalmente, tudo isso não passa de uma educada especulação, já que só poderemos avaliar de fato o poderio dos “novos Xboxes” quando eles chegarem ao mercado. A Microsoft promete o Xbox Series X para o verão norte-americano, o que nos posiciona entre outubro e dezembro de 2020. Provavelmente o Xbox Series S chegará junto de seu irmão maior.

Fonte: Tom Warren (via Twitter); Tom's Guide

0 comentários:

Nos deixe saber sua opinião...